Por sequência, Kleina repete escalação no Palmeiras e pede respeito ao ABC

Por iG São Paulo * |

compartilhe

Tamanho do texto

Intenção do técnico é dar sequência à equipe e dar moral aos jogadores que mostraram bom desempenho contra o Oeste

Divulgação/Palmeiras
Gílson Kleina, técnico do Atlético-MG

Antes de comandar treino leve na Academia de Futebol nesta quinta-feira, Gilson Kleina concedeu entrevista coletiva e confirmou que não mexerá na equipe titular do Palmeiras para a partida contra o ABC. O jogo pela Série B está marcado para esta sexta-feira. A intenção do técnico é dar sequência à equipe e dar moral aos jogadores que mostraram bom desempenho contra o Oeste.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

O caso principal da filosofia do treinador é a briga pela titularidade entre André Luiz e Vilson. O primeiro assumiu a vaga ao lado de Henrique após a saída de Maurício Ramos e agradou na goleada por 4 a 0 sobre o time de Itápolis. Já Vilson, totalmente recuperado de uma lesão no joelho esquerdo, deixou boas impressões no primeiro semestre, mas ainda precisa de ritmo de jogo.

"Vou manter o André. O Vilson fez todo o procedimento, fez os jogos-treinos, a gente conversa diariamente com o grupo para ter coerência e conhecer o tempo de cada um. Que a gente possa entender que temos hoje uma reposição à altura. O Vilson sabe que goza da nossa confiança e do torcedor, mas o grande mérito deste elenco é respeitar o próximo, o companheiro que está em boa fase", justificou.

A filosofia implantada por Kleina, inclusive, pode fazer com que a escalação do time considerado ideal, contando com as contratações feitas pela diretoria, possa demorar para ser colocada em prática. Principalmente pelo tempo que Felipe Menezes e Alan Kardec devem demorar para entrar em forma e Eguren para adquirir ritmo.

"A equipe ideal passa por vários fatores. A gente pode considerar que o grupo esta ficando forte e consistente. Temos que transformar o que fazemos em treino nos jogos", afirmou o comandante, que deixou a briga por posições entre os volantes aberta: "O Márcio Araújo faz tanto o primeiro como segundo, assim como o Charles. O Eguren tem por preferência ser de contenção. O Márcio tem sido um dos maiores ladrões de bola e não podemos desfigurar um todo, vou encaixá-los (reforços) no tempo certo".

E se prega pelo respeito dentro do elenco, Gilson Kleina também não quer saber de menosprezo em relação aos adversários. A começar pelo ABC, rival desta sexta-feira às 21 horas (de Brasília) no Pacaembu, que ocupa a lanterna da Série B do Campeonato Brasileiro com apenas dois pontos, três gols marcados e 12 sofridos em sete partidas.

"Temos de estar atentos a todos os jogos, com todo respeito por qualquer adversário. Não podemos pensar que será fácil, que a vitória virá ao natural. Vamos pegar uma equipe que vai correr muito, pois jogar contra o Palmeiras é o grande momento. Por mais que eles estejam em situação incômoda, brigam para sair dessa. Nós temos que procurar nossos objetivos e nossas pretensões", afirmou o técnico.

Leia tudo sobre: palmeirassérie b

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas