Volante cedido pelo Cruzeiro no início do ano na transação que levou o atacante Luan para o clube mineiro

Charles comemora gol pelo Palmeiras
SÉRGIO BARZAGHI/GAZETA PRESS
Charles comemora gol pelo Palmeiras

Em menos de seis meses no Palmeiras , Charles já se emociona com o que conseguiu no clube. Embora membro do elenco campeão da Libertadores de 2011, o volante deixou a impressão de frágil condição física na passagem pelo Santos e também na volta ao Cruzeiro, ainda tentando se recuperar das consequências de um golpe de taco de beisebol no joelho esquerdo. Mas hoje, no Palmeiras, está tão à vontade que pede para ficar.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

"Estou feliz da vida. Tenho contrato com o Cruzeiro até dezembro de 2015, mas já falei que, por mim, fico aqui. Reencontrei meu futebol, não há razão para sair", afirmou o meio-campista emprestado pelo clube mineiro até o final deste ano, mas o Palmeiras tem o direito de decidir unilateralmente a sua permanência.

Contratado inicialmente ao lado do volante Marcelo Oliveira na transação que levou o atacante Luan para a Toca da Raposa, Charles viu ampliar suas chances de permanecer quando o time mineiro cedeu o meia-atacante Ananias em troca do volante Souza. Mas as suas reais possibilidades de continuar vestindo verde se devem mesmo às atuações que o colocam como titular absoluto mesmo na disputa com Wesley, que chegou por cerca de R$ 14,5 milhões.

"Passei pelo pior momento da minha carreira, fiquei um ano e meio machucado. Não tive a oportunidade de jogar no Santos e fui muito criticado. Cheguei ao Palmeiras também com as pessoas tendo dúvidas normais. Mas rapidinho pude mostrar o meu trabalho em campo, dando o meu máximo. E estou colhendo frutos nos jogos", apontou.

É a superação de um caso raro de contusão. O camisa 28, enquanto ainda jogava no Lokomotiv Moscou, da Rússia, em 2010, foi vítima de golpes de um taco de beisebol no joelho esquerdo - a confusão, segundo ele, ocorreu enquanto ele tentava apartar a briga de um amigo com torcedores de clubes rivais. E sofreu para se recuperar.

"Em um momento difícil, você se agarra à família, aos amigos e a Deus. E foi um momento complicado, de desconfiança, as pessoas que falavam comigo todos os dias passaram a não falar... Mas pensei em tudo que passei na vida e vi que não era nada, daria a volta por cima", comentou, embargando a voz.

Agora, Charles cumpre o que prometeu ao se apresentar no Palmeiras: repete o desempenho da melhor fase de sua carreira. "Na minha passagem pelo Cruzeiro até ir para a Rússia, tive a felicidade de fazer muitos gols. E agora retomei meu futebol no Palmeiras, com gols e ajudando a equipe. Isso para mim é fundamental", comemorou.

*Com Gazeta

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.