O camisa 11, entretanto, está à disposição para ajudar na formação de seu novo herdeiro na forma que puder

Wesley treina sob a expectativa do nascimento de seu filho, já marcado para quarta-feira. Mas já descarta qualquer descanso que o faça ficar fora do jogo do dia 6, contra o Oeste, em Presidente Prudente (SP), o primeiro após a pausa na Série B do Campeonato Brasileiro por conta da Copa das Confederações. O jogador crê que não vale a pena.

Elogiado em último jogo, Wesley quer tirar prejuízo da folga forçada

Wesley, meia do Palmeiras
Gazeta Press
Wesley, meia do Palmeiras

"Pelo que vejo, a licença é só para ver o boneco sair e já voltar logo. Se for para isso, nem precisa", falou o volante, que não poupa gírias ao falar de assuntos pessoais. Inclusive para comentar a importância da mãe de seu filho diante de sua rotina de jogos.

"A 'nega véia' sabe da grande importância de eu descansar para levar alimento para casa. Mas, quando eu chegar em casa, vou fazer vento com o moleque", sorriu o atleta, sem explicar o que significa "fazer vento".

O camisa 11, entretanto, está à disposição para ajudar na formação de seu novo herdeiro na forma que puder. "Estou olhando na internet para aprender. Estou feliz, é uma benção. Educar é complicado, mas quem tem Deus está em casa. Vamos cuidar bem dele", prometeu.

O pedido por auxílio à mulher, contudo, é sincero. "A 'nega véia' já está ciente. Por isso que precisamos concentrar, senão o guerreiro não aguenta. Joguei com um cara na Alemanha que tinha quatro cabeças em casa e acabava que não relava na bola", lembrou o ex-jogador do Werder Bremen.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.