Tamanho do texto

Um dos alvos dos protestos dos torcedores, técnico Ney Franco diz entender as manifestações, mas não se vê como problema do clube do Morumbi

Os torcedores do São Paulo que compareceram ao Morumbi nesta quarta-feira ficaram revoltados com a derrota diante do Goiás por 1 a 0 . Ainda durante o segundo tempo da partida, vaiaram o time e mostraram-se impacientes com o técnico Ney Franco ao gritarem o nome de Muricy Ramalho, recém-demitido do Santos. Além disso, pediram a saída de Juvenal Juvêncio da presidência do clube. Depois, protestaram nominalmente em frente o portão principal do estádio contra alguns jogadores que acabaram sendo poupados no decorrer dos 90 minutos.

Você acha que as críticas da torcida do São Paulo ao time são justas? Comente

Torcida do São Paulo protesta contra o time no Morumbi
Fernando Dantas/Gazeta Press
Torcida do São Paulo protesta contra o time no Morumbi

O atacante Luis Fabiano e o zagueiro Lúcio, considerados dois dos líderes do elenco, foram uns dos focos dos torcedores. O lateral esquerdo Juan, recém-reintegrado ao grupo, e o volante Denilson também foram lembrados pelos torcedores. Juvenal Juvêncio, que já havia sido alvo das manifestações dentro do estádio, foi fortemente criticado mais uma vez.

Ney Franco diz entender e respeitar a impaciência dos torcedores, fruto não só da derrota desta quarta-feira como das eliminações no Paulistão e na Libertadores. Ele deixa claro, no entanto, que não se vê como culpado pelos recentes fracassos. 

"Se sentir que estou impedindo o sucesso do time, sou o primeiro a pedir o boné, não quero atrapalhar. Mas acho que treinador não é o problema. É uma opinião minha. Quando há insucessos, é um pouco de cada coisa. Agora, o cargo é do clube. Tenho firmeza de continuar no cargo, mas não sou eu que tomo a decisão", disse o comandante são-paulino.

Quem também se exime de culpa é Juan. O jogo nesta quarta-feira foi apenas o segundo do lateral-esquerdo desde que foi reintegrado ao elenco, após seis meses sem atuar. "Quando o resultado não vem, sobra para alguém. Mais uma vez, sobrou para mim. Queria entender qual o problema da torcida comigo. Eu me esforço, luto. Sei que não estou 100%, que eu posso render mais, mas time grande é assim, tem pressão", declarou.

Apesar da derrota, o São Paulo é um dos seis times que dividem a liderança do Campeonato Paulista, com sete pontos conquistados em quatro rodadas. Vale lembrar, no entanto, que o Fluminense pode assumir a ponta se vencer o duelo desta quinta-feira, contra o Coritiba.

O próximo compromisso do São Paulo no Brasileirão será apenas daqui a uma semana, contra o Grêmio, em Porto Alegre.

Veja imagens dos jogos desta quarta-feira pelo Brasileirão