Garantia serve para liberação de R$ 400 milhões do BNDES que viabiliza obras de estádio em Itaquera. Conselho deliberativo do Corinthians ainda precisa ratificar decisão

Sede corintiana é avaliada em R$ 1,2 bilhão
AE
Sede corintiana é avaliada em R$ 1,2 bilhão

O conselho fiscal do Corinthians (CORI) aprovou decisão que coloca a sede do clube no Parque São Jorge como garantia de pagamento de empréstimo de R$ 400 milhões ao BNDES. A quantia é necessária para viabilizar as obras do estádio do clube em Itaquera, palco da abertura da Copa do Mundo de 2014 .

Deixe seu comentário para esta notícia

A garantia foi apresentada à Caixa Econômica Federal, banco escolhido pelo clube como agente repassador da verba do BNDES.

O terreno do Parque São Jorge é avaliado pelo Corinthians em R$ 1,2 bilhão. A Caixa indicou duas empresas para avaliarem a área e apresentarem laudos sobre o valor da sede corintiana, mas já sinalizou que aceita o terreno como garantia do empréstimo. 

Leia também: Valcke muda o discurso e garante: “Não há Copa do Mundo sem São Paulo”

A decisão do CORI foi tomada em reunião na segunda-feira e precisará ser ratificada pelo Conselho Deliberativo (CD) corintiano na próxima semana. Alinhado à diretoria do presidente Mário Gobbi, o CD não deve barrar a decisão. 

Além dos R$ 400 milhões do empréstimo, o Corinthians usa R$ 420 milhões correspondentes aos Certificados de Incentivo ao Desenvolvimento (CIDs) que serão emitidos pela Prefeitura de São Paulo para viablizar a obra. A primeira remessa dos CIDs foi aprovada no início de abril e foram liberados R$ 156 milhões.

Escolhida como sede da abertura da Copa 2014, a Arena Corinthians já completou 76% do seu cronograma de obras e tem conclusão prevista para dezembro. O secretário-geral da Fifa, Jerome Valcke, cobrou agilidade das obras e o Corinthians rebateu . O empréstimo do BNDES era apontado como um dos entraves da obra, mas começa a ser solucionado. 


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.