Treinador reclamou dos gols sofridos pela equipe na derrota para o ABC que culminou na eliminação da Copa do Brasil

Depois de mais uma eliminação do Sport na temporada, Sérgio Guedes foi mantido no cargo. Porém há a possibilidade de novas mudanças no elenco. Além disso, o treinador reclamou dos gols sofridos pela equipe.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

"A conversa é interna sobre as perspectivas que a gente tem. A preocupação sobre o resultado. Até entendo que poderia haver uma desclassificação, mas não com uma derrota. Poderia ter evitado os gols com paciência maior e com uma atenção maior. Sofrendo gols desse jeito, você acaba trazendo preocupação no momento que o time vive. É preciso ter lucidez para analisar esse momento. Temos jogadores importantes que estão gerando um desgaste. Nesse momento, cabe uma grande reflexão para que a gente possa reavaliar o processo e começa uma nova competição porque a pressão vai ser maior agora", analisou Guedes.

Questionado sobre o futuro do elenco, Sérgio Guedes deixou em aberto a possibilidade de novas mudanças. Algo que inevitavelmente vai acontecer. "Tudo é possível. A gente já tem conversado sobre isso. Existe muita coisa depois que o campeonato regional acabou. É complicado ter um ajuste tão rápido diante do grau de exigência para contratação que existe. A paciência é muito pequena diante dos resultados que não vêm acontecendo. Existe uma pressão muito grande sobre determinado jogador. Há uma transferência de culpa. Parece que sempre vai ter a bola da vez. Isso é que a gente tem preocupado em equalizar", preocupa-se o comandante do Sport.

O treinador ainda se preocupou em cobrar os jogadores, pedindo que todos assumam sua parcela na má fase que o Sport atravessa. "Cada um tem que assumir o seu papel. O que está sendo feito não é suficiente. É preciso chegar em casa e olhar no espelho para perceber que pode ser feito mais. Nós estamos devendo ao Sport, aos profissionais e ao torcedor, que nos cobra com razão. Nós não estamos respondendo pela maneira que se espera. Só existe um remédio, que é fazer o melhor", finalizou.

Agora, o técnico tem apenas três dias para trabalhar o time que estreia na Série B diante do Icasa, no próximo sábado.

*Com Gazeta

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.