Meia do Santos reclama de pênalti e faltas não marcadas em Neymar durante jogo contra o Corinthians na Vila Belmiro pela final da Libertadores

Autor do gol do Santos no empate com o Corinthians neste domingo, Cícero se mostrou inconformado com a atuação do árbitro Guilherme Ceretta de Lima na decisão do Campeonato Paulista. Irritado, o santista disparou contra o juiz e chegou a falar que Ceretta teve participação direta no resultado da partida.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Cícero acredita que as reclamações do adversário, acerca da arbitragem do paraguaio Carlos Amarilla, no empate do clube de Parque São Jorge com o Boca Juniors (Argentina), na última quarta-feira, no Pacaembu, que tirou os corintianos da Libertadores, influenciaram no desempenho da arbitragem na final do Campeonato Paulista.

"O Corinthians saiu contra o Boca e todos falaram de arbitragem, quiseram tirar o foco. Aí ele (Guilherme Ceretta de Lima), chega aqui e não marca uma falta em cima do Neymar, na entrada da área (lance que envolveu o zagueiro Paulo André, no primeiro tempo). Só porque reclamaram durante a semana, prejudicaram o Santos aqui dentro. Quem pagou o preço foi o Santos", desabafou o meio-campista.

Ceretta teve a sua escalação para apitar a última partida do Paulistão confirmada apenas na sexta. Rodrigo Braghetto iria comandar o duelo, mas foi trocado pela Federação Paulista de Futebol, pois foi comprovado que a empresa do árbitro, a Apto Esportes, prestava serviços ao departamento amador do Corinthians. Com isso, foi promovido um novo sorteio para a escolha do juiz que dirigiria a final. Após esse episódio, Braghetto anunciou a sua decisão de abandonar a arbitragem.

Mais calmo que Cícero, Léo evitou comentar a arbitragem do clássico. O experiente lateral-esquerdo preferiu destacar o mérito dos rivais no título estadual, mas admitiu que não foi nada agradável a sensação de ver o Corinthians comemorando na casa do Santos.

"Foi justa (a conquista do título). Enfrentamos uma equipe que soube jogar com o resultado nas mãos e ficou lá atrás, se defendendo bem e explorando os contra-ataques. Foi um gosto horrível (ver a festa corintiana)", comentou Léo.

*Com Gazeta

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.