Criciúma segura ímpeto da Chapecoense e fatura o seu 10º título estadual

Por iG São Paulo * |

compartilhe

Tamanho do texto

Time de Vadão é derrotado por 1 a 0, mas conquista Campeonato Catarinense graças à vitória por 2 a 0 no jogo de ida

O Criciúma cumpriu a primeira parte da missão no Campeonato Catarinense ao vencer em casa por 2 a 0 no último final de semana. Com a pressão nas costas, a Chapecoense contou com a força da torcida na Arena Condá neste domingo, venceu por 1 a 0, mas não conseguiu evitar que o Tigre conquistasse seu 10º título estadual da história.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Precisando de uma vitória por dois gols de diferença para levar a disputa à decisão de pênaltis, o Verdão do Oeste entrou em campo com Bruno Rangel, Fabinho Alves e Rodrigo Gral no ataque e com o camisa 10 Nenén na armação das jogadas. Do lado tricolor, Vadão também apostou no esquema 4-3-3, com os velozes Fabinho e Lins puxando os contra-ataques para Marcel.

Os visitantes começaram melhor a partida, obrigando o goleiro Nivaldo a fazer boas intervenções em cruzamento de Sueliton e finalização de Marcel. A Chape acordou com os sustos e, depois de Fabinho Alves perder boa chance, Paulinho Dias cobrou escanteio na área e o zagueiro Rafael Lima subiu bonito para abrir o placar.

A partida ficou aberta e as duas equipes seguiram perdendo grandes oportunidades até o final do primeiro tempo. Para a etapa complementar, Gilmar Dal Pozzo sacou o volante Wanderson e lançou o meia Athos, deixando a Chapecoense ainda mais ofensiva. Enquanto isso, Vadão manteve o time ofensivo até os 30 minutos, quando tirou o meia Ivo para o volante João Vitor, ex-Palmeiras, entrar.

Na reta final da partida, o goleiro Bruno passou a gastar o tempo para o Tigre e irritou a torcida de Chapecó ao pedir atendimento após choque com o lateral Fabiano na grande área. Quando o jogo recomeçou, Bruno levou mais uma vez os alviverdes ao desespero em linda defesa que evitou o gol de Athos.

Aos 43 minutos, Bruno Rangel recebeu na marca do pênalti, girou e bateu por cima, para desespero de Dal Pozzo. No ataque seguinte, o ídolo Rodrigo Gral ganhou na raça entre os zagueiros do Tricolor, a bola sobrou com Rafael Lima. O zagueiro soltou o pé na bola e Bruno se garantiu no posto de herói da partida.

Os torcedores da Chapecoense seguiam acreditando na conquista e empurraram a equipe até os minutos finais. A festa, no entanto, ficou com a pequena torcida do Criciúma que compareceu à Arena Condá e comemorou o nono título do Campeonato Catarinense. Foi a terceira conquista do Tigre sobre a Chape, desempatando o histórico de finais entre as equipes.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas