Sem se incomodar com relação, Marinho diz que veto protege Braghetto

Por Gazeta |

compartilhe

Tamanho do texto

Árbitro foi afastado da final do Campeonato Paulista e anunciou aposentadoria depois do episódio

Fernando Dantas/Gazeta Press
Rodrigo Braghetto anunciou a sua aposentadoria como árbitro

O presidente da Comissão Estadual de Arbitragem, Marcos Marinho, afirmou nesta sexta-feira que não vê problemas com o fato de o árbitro Rodrigo Braghetto prestar serviços ao Corinthians por meio de uma empresa própria. O juiz estava escalado para apitar neste domingo a final do Campeonato Paulista, entre a equipe paulistana e o Santos, mas acabou tendo seu nome vetado pela relação profissional que estabeleceu com o clube.

Comente esta notícia com outros torcedores

"A gente já sabia, já conhecia essa atividade do Braghetto, e não via problema nenhum. Mas no momento em que isso é veiculado, repercute. O fato apareceu, e já teve bastante repercussão. Isso pode prejudicá-lo. Eu conheço o Braghettto, estou por dentro dessa situação toda", disse à SporTV.

Braghetto é dono da Apto Esportes, uma empresa que oferece serviços de arbitragem a campeonatos internos, disputados em clubes, empresas e outras associações. Segundo   Marinho, o veto foi uma maneira de preservar o árbitro, que, inclusive, anunciou o fim da carreira nesta sexta-feira.

Leia mais: Após ser afastado da final do Paulista, árbitro anuncia aposentadoria

"Todos os anos, acontece isso, acontece aquilo, o que acaba prejudicando o árbitro. As impressões incomodam, e nós acabamos pedindo a substituição dele", afirmou.

Um novo sorteio na sede da Federação Paulista de Futebol será realizado na tarde desta sexta, definindo um novo trio de árbitros para o clássico. No sorteio anterior, Guilherme Ceretta de Lima, Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza e Raphael Claus disputaram com Rodrigo Braghetto.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas