Contratação do craque português seria prioridade do dono do Paris Saint-Germain para a próxima temporada

Cristiano Ronaldo pode deixar o Real Madrid
Frank Augstein/AP
Cristiano Ronaldo pode deixar o Real Madrid

A contratação de Cristiano Ronaldo é a prioridade de Nasser Al-Khelaïfi, dono e presidente do PSG, para a próxima temporada. Segundo informações do jornal francês L'Equipe , o clube parisiense estaria disposto a pagar 100 milhões de euros (aproximadamente R$ 261 milhões) ao Real Madrid para contar com o português na próxima temporada. Além disso, o atacante receberia um salário equivalente a R$ 47 milhões por ano.

Comente esta notícia com outros torcedores

A publicação ainda acrescenta que o técnico Carlo Ancelotti, atual comandante do PSG, pode ser envolvido no negócio, transferindo-se, assim, para o clube merengue, que deve perder José Mourinho para a próxima temporada.

Segundo o próprio Ancelotti, uma reunião com Nasser Al-Khelaïfi irá acontecer nesta sexta-feira para que "as coisas sejam esclarecidas".

Leia mais : Beckham anuncia que vai pendurar as chuteiras ainda neste mês

Caso Cristiano Ronaldo se transfira para o PSG de acordo com os valores divulgados pelo L'Equipe , irá se concretizar a maior contratação da história do futebol. O maior valor já pago por um jogador foi de 94 milhões de euros (aproximadamente R$ 245 milhões), pelo mesmo Cristiano Ronaldo, em 2009, durante sua transferência do Manchester United para o Real Madrid. Atualmente, o atleta português recebe um salário de R$ 26 milhões por ano. Se for para Paris, receberá quase duas vezes mais (R$ 47 milhões).

Cristiano Ronaldo vem tendo sua saída do Real Madrid muito especulada. Desde a eliminação para o Borussia Dortmund na semifinal da Liga dos Campeões da Europa, o português aparece na capa dos jornais espanhóis, que ventilam sua transferência de Madri.

Leia mais : PSG estuda amarrar saída de Carlo Ancelotti para tentar Cristiano Ronaldo

Caso José Mourinho realmente saia do clube ao fim da temporada, o camisa 7 deve pedir para ser negociado, não renovando assim o seu contrato, que se encerra em 2015.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.