Paulinho nega queda de rendimento e promete ser "o de sempre" na quarta-feira

Por Gazeta |

compartilhe

Tamanho do texto

Volante é peça fundamental no Corinthians que encara o Boca Juniors no Pacaembu, pelas oitavas da Libertasdores

Paulinho não concorda com a visão de que vinha atuando abaixo de seu nível até o último domingo, quando foi decisivo na vitória do Corinthians sobre o Santos. O volante disse que um jogador de sua posição não pode ser julgado pelos gols que marca, pois essa não é a sua obrigação.

Paulinho cita história de Jorge Henrique e torce para "que tudo se resolva"

"Eu vinha marcando gols consecutivos e não marquei por um tempo, mas sempre falei que minha primeira função é ajudar os companheiros lá atrás. Respeito a opinião de todos, mas o Paulinho vai continuar jogando como sempre fez desde que chegou ao Corinthians, vai ser o Paulinho de sempre", afirmou.

DJALMA VASSÃO / Gazeta Press
Paulinho, volante do Corinthians

"Tem partidas em que, devido ao esquema da equipe adversária, ajudo o Tite e o grupo no que é preciso, fico um pouco mais. Se for para ficar atrás todos os jogos, vou ficar. Fazer gols não é o meu objetivo. Meu objetivo é jogar bem e vencer as partidas", acrescentou o camisa 8.

Declaração de Riquelme motiva atletas do Corinthians contra o Boca Juniors

É difícil negar, porém, que o Timão cresce quando Paulinho aparece com qualidade na frente. Contra o São Paulo, por exemplo, teve um posicionamento defensivo por causa dos meias Jadson e Ganso, e o Alvinegro não criou nada. Na convincente vitória sobre o Santos, fez um gol, participou do outro, acertou uma bola no travessão e perdeu duas chances claras.

"Muita gente fala que eu sou o termômetro do time: quando vou bem, o time vai bem; quando vou mal, o time vai mal. Todos podem analisar, respeito a opinião de cada um, mas não estou de acordo. Vou bem quando o time vai bem. Foi o que aconteceu contra o Santos. Todo o time foi bem", comentou.

O jogador deve ter menos facilidade para catalisar as ações ofensivas contra o Boca Juniors, na quarta-feira, pelas oitavas de final da Copa Libertadores, pois Carlos Bianchi não é Muricy Ramalho. Mas, em desvantagem de 1 a 0, o Corinthians precisa de um Paulinho participativo.

Leia tudo sobre: PaulinhoCorinthiansBoca JuniorsLibertadores 2013igsp

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas