Para o técnico, as manifestações adversas da torcida contra o árbitro paraguaio Carlos Amarilla poderão prejudicar emocionalmente o Corinthians diante dos argentinos

Tite demonstrou uma preocupação excessiva com o comportamento que a torcida do Corinthians terá no decorrer da partida com o Boca Juniors, na quarta-feira, no Pacaembu. Após a vitória por 2 a 1 sobre o Santos , no primeiro jogo da final do Campeonato Paulista, o técnico usou o microfone para se dirigir diversas vezes ao público que estará no estádio para apoiar o time no jogo de volta das oitavas de final da Copa Libertadores da América.

Cássio diz que não está 100% para sair do gol: "Não tenho perna para isso"

"Torcedor do Corinthians, por favor, apoie a gente. Não é xingando o adversário ou a arbitragem, mas incentivando os nossos atletas, coisa que os corintianos sabem fazer", definiu Tite, na primeira vez em que se pronunciou espontaneamente sobre as reações do público na partida do meio de semana.

Para o técnico, as manifestações adversas da torcida contra o árbitro paraguaio Carlos Amarilla poderão prejudicar emocionalmente o Corinthians diante do Boca. "Não reclame com a arbitragem, torcedor, pois pode desestabilizar a nossa equipe", alertou.

O temor de Tite é com a possibilidade de o Corinthians ser afetado pelo nervosismo que comumente acometia o time em Libertadores passadas. Para se classificar à próxima fase sem a necessidade de disputa de pênaltis, é necessário vencer por dois gols de diferença. O Boca não foi vazado em La Bombonera e terá vantagem se balançar as redes como visitante.

Guerrero se envaidece com elogio, mas espera ter mais chances de gol

Em 2013, no entanto, o Corinthians disputa a Libertadores com o status de atual campeão e sem a mesma pressão de anos anteriores. "Sinto confiança por parte da nossa torcida pelas conquistas que tivemos, mas também uma exigência maior, que não havia no ano passado", percebeu Tite.

No clássico contra o Santos, também no Pacaembu, a torcida do Corinthians mostrou confiança no time. Mas ainda reclamou bastante da arbitragem - como Tite não quer - e manifestou-se com mais intensidade para cantar depois que o atacante Emerson agitou os braços para as arquibancadas.

"Não sei se é porque tenho um bom senso auditivo, mas ouvi o nosso torcedor gritando o tempo todo", defendeu Tite. "Também escutei a torcida do Santos, que estava mais longe", sorriu o treinador corintiano.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.