Tite diz que indisciplina de Jorge Henrique não foi caso isolado

Por Gazeta |

compartilhe

Tamanho do texto

O treinador do Corinthians disse estar triste pelo afastamento e ter tentado equilibrar razão e emoção para decidir a punição em conjunto com a diretoria

Gazeta Press
Jorge Henrique está afastado do Corinthians

Antes do treino do Corinthians nesta sexta-feira, Tite encontrou Jorge Henrique no estacionamento do CT do Parque Ecológico. Ouviu um novo pedido de desculpa, disse que "a recondução pessoal e profissional" depende dele, e deixou claro, em entrevista concedida após a atividade, que pesou a reincidência no afastamento do atacante por indisciplina.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

"A decisão não foi tomada por um fato isolado. Seria ingênuo, burro da minha parte. Está na mão do Jorge reconduzir a sua vida profissional e pessoal. O torcedor pode ter certeza de que não foi um fato isolado e que o respeito à entidade é muito grande. Se não houver limites, falta respeito ao clube, falta respeito ao torcedor", afirmou o treinador.

Depois de pedir que o assunto fosse resumido em "três ou quatro perguntas", Tite acabou falando mais, manifestando tristeza pela punição. E confirmou sem dizer todas as letras que o jogador foi punido pela falta no treino de sábado com uma falsa justificativa familiar.

Leia mais: Tite mantém Pato no banco e centraliza Danilo para melhorar criação

"Se aconteceu, foi porque era necessário. Todos têm o conhecimento. Você sabe, todo o mundo sabe. Às vezes, é preciso ter cuidado para divulgar, é preciso presenciar, mas todo o mundo sabe quem comete um erro. É questão de mais dia, menos dia", comentou.

Tite disse estar triste pelo afastamento e ter tentado equilibrar razão e emoção para decidir a punição em conjunto com a diretoria. Ele procurou não fazer projeções detalhadas do futuro, deixando uma mensagem pessimista àqueles que torcem pela reintegração de Jorge Henrique ao elenco.

Veja também: Gobbi deixa futuro aberto e mostra carinho: 'Aqui é a casa do Jorge'

"O Tite não fecha nem abre portas para ninguém. Quem abre e fecha é o próprio atleta. Está na mão dele a sequência, depende fundamentalmente dele", acrescentou o gaúcho, reiterando que a decisão a ser tomada sobre o atacante após o Estadual não será só do treinador.

"Isto é um clube de futebol, o técnico não manda em tudo. Sempre olho para o clube onde estou. Vocês devem se lembrar, eu era de opinião de não levar o Adriano (para as partidas). Fui convencido do contrário", recordou o comandante. Para Jorge ficar, ele terá de ser convencido novamente.

Leia tudo sobre: TiteJorge HenriqueCorinthiansigsp

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas