Paulo André apoia direção no caso Jorge Henrique e sugere "quebra de unidade"

Por Gazeta |

compartilhe

Tamanho do texto

Não foi nenhuma surpresa quando Paulo André apareceu para conceder entrevista nesta quinta-feira, no CT do Parque Ecológico. Porta-voz do Corinthians nos momentos de crise, o zagueiro apareceu para falar sobre o afastamento de Jorge Henrique por indisciplina.

Não foi nenhuma surpresa quando Paulo André apareceu para conceder entrevista nesta quinta-feira, no CT do Parque Ecológico. Porta-voz do Corinthians nos momentos de crise, o zagueiro apareceu para falar sobre o afastamento de Jorge Henrique por indisciplina. O beque disse que a informação foi passada pelo técnico Tite antes do treino, em uma reunião que teve também a presença do gerente de futebol do clube, Edu Gaspar. Sem convencer ninguém, afirmou não saber o motivo da decisão, mas fez um palpite genérico e manifestou confiança na diretoria.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Gazeta Press
Paulo André, zagueiro do Corinthians

"O Tite tem conduzido o grupo de uma maneira muito legal, muito ética, tratando todo o mundo da mesma forma. Talvez alguma coisa muito importante, que possa quebrar essa unidade, possa ter causado a separação do Jorge do grupo. É importante resolver os problemas para que as pessoas que cheguem entendam como se trabalha aqui dentro, com lealdade e confiança", comentou o jogador.

"Vão nos comunicar na hora certa. Essa diretoria tem nos dado um suporte muito bacana desde a época do Andrés", acrescentou Paulo André, citando nominalmente os dirigentes Roberto de Andrade, Duílio e Edu. "Acreditamos que eles tenham tomado a melhor decisão."

Leia mais: Jorge Henrique é afastado do Corinthians por tempo indeterminado

Jorge Henrique e os demais jogadores foram comunicados sobre o afastamento nesta quinta. O atacante não apareceu no treino do último sábado, véspera do confronto semifinal com o São Paulo, pelo Campeonato Paulista, apontando problemas familiares, e acabou sendo cortado do banco de reservas.

Ainda que não tenha sido confirmado o motivo da punição ao camisa 23, a ausência antes de um jogo importante pegou muito mal com a comissão técnica. A justificativa da falta também pode não ter sido exatamente recebida sem desconfiança.

"Depende do treino. Às vezes, você está fazendo o seu trabalho e nem percebe que o cara não veio. Quando é um coletivo e o cara é importante no time, isso atrapalha a programação. Depende. Às vezes, tem justificativa", afirmou Paulo André.

Veja também: Por bombas e vandalismo, FPF proíbe Gaviões de ir aos estádios

O zagueiro, por fim, apostou que o problema será superado na final do Campeonato Paulista. A possível reintegração de Jorge, que parece improvável no momento, só acontecerá após a decisão contra o Santos, nos dois próximos domingos.

"Para falar bem a verdade, quando se entra em campo, essas coisas ficam esquecidas. A mesma coisa acontece com problemas familiares, pessoais, questões até mais importantes do que essa, que acabam ficando de lado. É claro que o Jorge é importante, ajudou a gente em jogos difíceis, a falta é grande, tecnicamente falando. Mas uma decisão foi tomada por algum motivo justo. Cabe a nós suprir essa ausência", resumiu o porta-voz do Corinthians.

Leia tudo sobre: Paulo AndréJorge HenriqueTiteCorinthians

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas