Goleiro corintiano disse que Rogério "quase abafou" o chute de Pato e se adiantou para desestabilizar o atacante

Cássio vibra após defender pênalti de Luis Fabiano
WAGNER CARMO/Gazeta Press
Cássio vibra após defender pênalti de Luis Fabiano

O Corinthians tem compromissos importantes pela frente, contra Santos e Boca Juniors, mas ainda há tempo para saborear a vitória sobre o São Paulo nas semifinais do Campeonato Paulista. Cássio continua se divertindo com as piadas criadas a partir dos passos à frente dados por Rogério Ceni na cobrança de pênalti de Pato. O goleiro tricolor defendeu, mas o juiz determinou a repetição da batida, e o Timão avançou à decisão.

Deixe o seu recado e comente esta notícia com outros torcedores

"Vi bastante as piadas pela internet, nas redes sociais. O pessoal é bem rápido! No ônibus, saindo do estádio, já tinha até a piada do relógio", afirmou o camisa 12 alvinegro, repetindo a tirada que mais apreciou: "Gostei daquela lá: Cássio, o relógio que não adianta".

Brincadeira à parte, o goleiro do Corinthians repetiu a opinião externada no domingo, da qual nem o treinador são-paulino Ney Franco discordou. Para ele, foi gritante demais a irregularidade cometida para evitar o gol de Pato, que acabou saindo no segundo chute.

"Foi acima do normal, né?", disse o arqueiro, entre risos. "Pô, ele quase abafou o Pato. Foi mais uma estratégia. Ele sabe o que faz, é um goleiro muito experiente. Sabia que podia voltar e quis causar nervosismo no cobrador na segunda tentativa."

Cássio diz que não tentaria o mesmo, pois não é seu estilo. "Procuro ficar com um pé em cima da linha. Cada um tem sua maneira de defender, não existe um código. Acho muito difícil que se faça a defesa com os dois pés na linha. A gente tenta segurar o máximo antes de sair, mas tem até o perigo de bater a cabeça na trave", comentou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.