Volante afirma que time não sentiu a pressão na Bombonera no jogo de ida das oitavas de final da Libertadores contra o Boca Juniors

Ralf em ação no clássico do Morumbi
Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians
Ralf em ação no clássico do Morumbi

Com a árdua tarefa de parar a dupla formada por Paulo Henrique Ganso e Jadson, Ralf foi mais uma vez um dos grandes destaques do Corinthians . Depois de ajudar a equipe a segurar o 0 a 0 com o São Paulo no tempo normal , o volante sofreu assistindo à disputa de pênaltis e respirou aliviado quando a cobrança de Alexandre Pato morreu no fundo do gol.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Elogiado em 2013 por passar a aparecer no campo de ataque e arriscar lançamentos, Ralf afirmou que teve de ficar "mais preso" no jogo neste domingo para não dar espaço aos meias adversários. Feliz com a classificação para a final do Campeonato Paulista, exaltou o poder de concentração de seus companheiros, que souberam aproveitar o estado emocional abalado dos rivais. Após ver de perto a situação dos jogadores são-paulinos, o volante prevê dificuldades para o time do Morumbi conseguir se recuperar e eliminar o Atlético-MG na Libertadores.

Leia também: São Paulo cai na semifinal pela sétima vez seguida e amplia jejum

"Eles vão ter que esquecer e com certeza vão entrar com tudo para o jogo da Libertadores", disse Ralf em entrevista ao programa "Mesa Redonda", da TV Gazeta . "Mas tem que lembrar que o time do Atlético-MG também vai para cima jogando dentro de casa", completou.

Se acha difícil a classificação do São Paulo em Belo Horizonte nesta quarta-feira, Ralf confia totalmente na vaga corintiana diante do Boca Juniors. O volante garantiu que a equipe não sentiu a pressão em La Bombonera e acredita que a passagem para as quartas de final será carimbada no Pacaembu.

"A gente não pipocou, não. A gente entrou priorizando a marcação, porque o time deles veio para cima, mas temos totais condições de reverter essa situação diante nossa torcida", sentenciou.

*Com Gazeta

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.