O técnico do Corinthians discursou para o elenco, o objetivo era resgatar a confiança dos atletas para o clássico contra o São Paulo, no domingo, no Morumbi

Geralmente contido, o técnico Tite não conseguiu disfarçar a sua irritação depois da derrota por 1 a 0 do Corinthians para o Boca Juniors. Posicionou-se com rispidez sobre a partida, bradou que era campeão mundial para negar qualquer abalo emocional por atuar em La Bombonera e até rivalizou com Carlos Bianchi, comandante do time argentino. Dois dias depois, voltou a sorrir.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

"Aquele não é o meu perfil. Foram momentos ruins", comentou Tite, bem-humorado, sem nem sequer se importar com as críticas que o Corinthians sofreu. "A gente não deve rebater opiniões. Tenho que focar no meu trabalho, nas relações de competência. Se eu ficar pensando nessas coisas, não vou conseguir dormir. Também não fujo do fato de real, de que jogamos menos do que podemos contra o Boca", reconheceu.


Apesar de ter evitado contestar os críticos do desempenho do Corinthians em Buenos Aires, o técnico pediu para as análises sobre o seu time não se pautarem apenas em um resultado. "Mais do que isso, é preciso ver a sequência do trabalho. Existe todo um processo. Se levarmos em consideração exclusivamente a vitória ou a derrota, as coisas ficarão sem rumo. Assim, só o campeão vai se salvar no final de um campeonato", argumentou.

Leia mais: Danilo e Emerson são poupados em treinamento físico do Corinthians

Acostumado a "se salvar" como campeão no Corinthians, Tite não foi o único a recuperar o autocontrole depois do tropeço do meio de semana. Seus comandados estavam sorridentes durante o treinamento da tarde desta sexta-feira, o primeiro realizado no CT Joaquim Grava depois do jogo de ida das oitavas de final da Copa Libertadores da América.

Antes da movimentação, Tite discursou para o elenco. O objetivo era resgatar a confiança dos atletas para o clássico contra o São Paulo, no domingo, no Morumbi, onde estará em jogo uma vaga na final do Campeonato Paulista. "A equipe tem maturidade para saber as coisas boas e ruins que faz. Adquiri uma relação de confiança com os atletas, não externando problemas ou críticas individuais ou coletivas, mas colocando para eles os pontos em que erraram ou acertaram. Isso é importante para existir uma referência", disse.

Veja também: São Paulo não vence Corinthians em mata-mata desde Paulistão 2000

Tite espera ter motivos para se manter bem-humorado no fim de semana. Uma vitória contra o São Paulo, que também perdeu (por 2 a 1, para o Atlético-MG) em seu compromisso no mata-mata da Libertadores, é fundamental para manter o emocional em alta antes do reencontro com o Boca Juniors, no Pacaembu. "O resultado pode servir para o bem ou para o mal. Aquele que perder ficará com o componente psicológico ruim por ter sido eliminado por um rival", conscientizou-se o treinador.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.