Tite recupera autocontrole dois dias após a derrota em La Bombonera

Por Gazeta |

compartilhe

Tamanho do texto

O técnico do Corinthians discursou para o elenco, o objetivo era resgatar a confiança dos atletas para o clássico contra o São Paulo, no domingo, no Morumbi

Geralmente contido, o técnico Tite não conseguiu disfarçar a sua irritação depois da derrota por 1 a 0 do Corinthians para o Boca Juniors. Posicionou-se com rispidez sobre a partida, bradou que era campeão mundial para negar qualquer abalo emocional por atuar em La Bombonera e até rivalizou com Carlos Bianchi, comandante do time argentino. Dois dias depois, voltou a sorrir.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

"Aquele não é o meu perfil. Foram momentos ruins", comentou Tite, bem-humorado, sem nem sequer se importar com as críticas que o Corinthians sofreu. "A gente não deve rebater opiniões. Tenho que focar no meu trabalho, nas relações de competência. Se eu ficar pensando nessas coisas, não vou conseguir dormir. Também não fujo do fato de real, de que jogamos menos do que podemos contra o Boca", reconheceu.

Tite, técnico do Corinthians. Foto: Daniel Augusto Jr./Agência CorinthiansTite, Edu Gaspar e Duílio Monteiro Alves em treino do Corinthians. Foto: Daniel Augusto Jr./Agência CorinthiansTite conversa com elenco na véspera de jogo com o Botafogo. Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. CorinthiansTite orienta o Corinthians durante partida contra o Cruzeiro. Foto: Rodrigo Coca/Agência CorinthiansTite observa treino de finalização de Romarinho. O Corinthians tem um gol marcado nos últimos cinco jogos. Foto: Rodrigo Coca/Agência CorinthiansTite e Ralf em treino do Corinthians. Foto: Daniel Augusto Jr./Agência CorinthiansTite lamenta atuação no jogo de ida contra o Luverdense. Foto: Daniel Augusto Jr./Agência CorinthiansTite e Mário Gobbi antes de clássico contra o São Paulo em março de 2013. Foto: Daniel Augusto Jr./Agência CorinthiansTite e Pato durante treino do Corinthians. Foto: Daniel Augusto Jr./Agência CorinthiansTite conversa com Ney Frabco no intervalo do primeiro jogo da final da Recopa. Foto: Fernando Dantas/Gazeta PressTite em treino do Corinthians. Foto: Daniel Augusto Jr./Agência CorinthiansTite treinou o Corinthians entre 2004 e 2005, ano da chegada de Tevez. Foram 51 jogos com 24 vitórias, 15 empates e 12 derrotas. . Foto: GazetaEm outubro de 2010 ele voltou ao clube para substituir Adilson Batista nas oito rodadas finais do Brasileirão. Foto: Gazeta PressTite e Ronaldo em 2010. Com cinco vitórias e três empates, a equipe de Tite terminou o Brasileirão em terceiro. Foto: Gazeta EsportivaA colocação obrigou o Corinthians a jogar a primeira fase da Libertadores de 2011 contra o Tolima. Foto: AETite, à beira do campo em Ibagué, onde o Corinthians perdeu por 2 a 0 e foi o primeiro time brasileiro eliminado antes da fase de grupos. Foto: Bruno WincklerNa volta ao Brasil, Tite foi criticado por torcedores, que queriam sua saída. Foto: AETite foi mantido no cargo apesar dos protestos. Foto: AETite e William Machado, que ficou 24 dias como gerente de futebol do Corinthians em fevereiro de 2011. Foto: AEMano Menezes e Tite no CT do Corinthians em março de 2011.. Foto: AEO Corinthians chegou à final do Paulistão de 2011, mas foi derrotado pelo Santos. Foto: AETite cumprimenta Falcão antes do jogo contra Internacional, no Pacaembu, um dos melhores do Corinthians no Brasileirão 2011. Foto: Futura PressTite e Danilo conversam na saída do campo da Vila Belmiro em clássico contra o Santos no Brasileiro de 2011. Foto: AEContra o Ceará, em agosto de 2011, Tite completou 100 jogos no comando do Corinthians. Ele recebeu uma placa da sua filha, Gabrielle. Foto: Gazeta PressTite ao lado de Mario Gobbi na festa dos 101 anos do Corinthians, em setembro de 2011. Foto: AETite e Adriano no banco de reservas do Orlando Scarpelli, em Florianópolis. O Corinthians venceu por 1 a 0 e poderia ter sido campeão brasileiro naquele 27/11/2011. Foto: AETite orienta o time na penúltima rodada do Brasileirão 2011. Foto: AEUma semana depois, após empate em 0 a 0 com o Palmeiras, o Corinthians foi campeão brasileiro. Foto: AEDepois do jogo, elenco corintiano atrasou coletiva de Tite ao dar banho de champanhe no treinador. Foto: AETite foi o 3º colocado no prêmio de melhor técnico do Brasileirão 2011. Foto: Gazeta PressTite pega a bola à beira do estádio de San Cristóbal, na Venezuela, na primeira partida do Corinthians na Libertadores de 2012: 1 a 1 contra o Táchira. Foto: AETite antes do primeiro primeiro jogo em casa pela Libertadores de 2012, contra o Nacional (PAR). Foto: Gazeta PressTite durante o treino na Cidade do México antes de Cruz Azul 0 x 0 Corinthians. Foto: AETite apreensivo antes do jogo contra o Cruz Azul, no Pacaembu. O Corinthians venceu por 1 a 0. Foto: Gazeta PressTite um dia antes do encerramento da fase de grupos da Libertadores 2012. O Corinthians fechou sua participação com um 6 a 0 no Táchira. Foto: AENo fim de semana seguinte, nas quartas de final do Paulistão, o Corinthians caiu para a Ponte Preta no Pacaembu: 2 a 3. Jogo fez Tite sacar Julio Cesar e dar chance a Cássio.. Foto: AETite comanda treino do Corinthians em Guayaquil, Equador, antes do jogo de ida contra o Emelec. Com Cássio, time segurou o 0 a 0. Foto: AETite gesticula com o time na vitória do Corinthians por 3 a 0 sobre o Emelec no jogo da volta. . Foto: Gazeta PressContra o Vasco, nas quartas de final, Tite gostou do 0 a 0 no jogo de ida em São Januário. Foto: AEExpulso no jogo da volta contra o Vasco, Tite viu do meio da torcida o gol de Paulinho na vitória por 1 a 0 que levou o Corinthians às semifinais. Foto: Gazeta PressTite cumprimenta Muricy Ramalho antes do jogo que determinou a classificação do Corinthians à final da Libertadores pela primeira vez na sua história.. Foto: Agência O GloboAntes do jogo contra o Boca Juniors, Tite surpreendeu e levou Romarinho para o banco. Ele havia feito dois gols contra o Palmeiras. Foto: Gazeta PressE entrando no fim do jogo, Romarinho marcou o gol do empate em 1 a 1 contra o Boca Juniors na Bombonera. Foto: AFPTite dá instruções durante o jogo contra o Boca. Ele nunca perdeu para times argentinos. Foto: EFEE assim veio a taça inédita para o Corinthians. Tite e o filho Matheus exibem o troféu.. Foto: Bruno WincklerTite conversa com o Padre Marcelo Rossi, que foi ao CT após a conquista da Libertadores. Foto: AETite recebe homenagem de diretor de futebol do Corinthians pela conquista da Libertadores. Foto: Daniel Augusto Jr./Agência CorinthiansTite recebeu placa de agradecimento dos membros da Gaviões da Fiel pelo título da Libertadores. Foto: ReproduçãoTite prometeu trabalhar nas obras do estádio em Itaquera em caso de título da Libertadores. Promessa cumprida. Foto: Futura PressTite põe a mão na massa nas obras da Arena Corinthians. Foto: Reprodução/TwitterEntre julho e novembro de 2012, Tite preparou a equipe para o Mundial de Clubes. Foto: RAFAEL NEDDERMEYER/Marca BrasilGeraldo Delamore (de boné), Cleber Xavier e Tite. Os dois primeiros são auxiliares do treinador desde seu início de carreira. Foto: Daniel Augusto Jr./Agência CorinthiansTite orienta crianças do GRAACC durante treino do Corinthians um mês antes do Mundial. Foto: Daniel Augusto Jr./Agência CorinthiansEm Dubai, na primeira etapa da viagem até o Japão, Tite aproveitou para fazer compras. Foto: Divulgação/Agência CorinthiansTite e o gerente de futebol, Edu Gaspar, durante treino em Dubai, antes do embarque para Tóquio. Foto: Daniel Augusto Jr./Agência CorinthiansTite desembarca com a equipe do Corinthians na capital japonesa. Foto: APEmerson e Tite dão entrevista protocolar da Fifa um dia após a chegada ao Japão. Foto: APTite, técnico do Corinthians, gesticula na primeira coletiva no Mundial de Clubes. Foto: APTite conversa com os torcedores que lotaram o treino aberto em Kariya, no Japão. Foto: ReutersNo hotel em Nagoya, Tite não abandonou seu chimarrão. Foto: Agência CorinthiansTite comanda treino na véspera da estreia da equipe no Mundial contra o Al Ahly: vitória por 1 a 0. Foto: ReutersTite, ao lado de Edu demais corintianos, assiste à vitória do Chelsea na semifinal do Mundial. Foto: Gazeta PressDavid Luiz discute com Tite após jogada durante a final contra o Chelsea. Foto: Getty ImagesTite exibe distintivo que os corintianos vão carregar na camisa em 2013. Foto: DivulgaçãoCantor Thiaguinho animou a festa do Corinthians nas ruas de São Paulo, mas técnico Tite roubou o microfone do pagodeiro. Foto: Futura PressNo início de 2013, Tite se certifica se está tudo certo com sua visão.. Foto: Daniel Augusto Jr./Agência CorinthiansTite passa por exame de vista e brinca com fotógrafo do Corinthians. Foto: Daniel Augusto Jr./Agência CorinthiansTite recebe Alexandre Pato, seu principal reforço para a temporada. Foto: Gazeta Press


Apesar de ter evitado contestar os críticos do desempenho do Corinthians em Buenos Aires, o técnico pediu para as análises sobre o seu time não se pautarem apenas em um resultado. "Mais do que isso, é preciso ver a sequência do trabalho. Existe todo um processo. Se levarmos em consideração exclusivamente a vitória ou a derrota, as coisas ficarão sem rumo. Assim, só o campeão vai se salvar no final de um campeonato", argumentou.

Leia mais: Danilo e Emerson são poupados em treinamento físico do Corinthians

Acostumado a "se salvar" como campeão no Corinthians, Tite não foi o único a recuperar o autocontrole depois do tropeço do meio de semana. Seus comandados estavam sorridentes durante o treinamento da tarde desta sexta-feira, o primeiro realizado no CT Joaquim Grava depois do jogo de ida das oitavas de final da Copa Libertadores da América.

Antes da movimentação, Tite discursou para o elenco. O objetivo era resgatar a confiança dos atletas para o clássico contra o São Paulo, no domingo, no Morumbi, onde estará em jogo uma vaga na final do Campeonato Paulista. "A equipe tem maturidade para saber as coisas boas e ruins que faz. Adquiri uma relação de confiança com os atletas, não externando problemas ou críticas individuais ou coletivas, mas colocando para eles os pontos em que erraram ou acertaram. Isso é importante para existir uma referência", disse.

Veja também: São Paulo não vence Corinthians em mata-mata desde Paulistão 2000

Tite espera ter motivos para se manter bem-humorado no fim de semana. Uma vitória contra o São Paulo, que também perdeu (por 2 a 1, para o Atlético-MG) em seu compromisso no mata-mata da Libertadores, é fundamental para manter o emocional em alta antes do reencontro com o Boca Juniors, no Pacaembu. "O resultado pode servir para o bem ou para o mal. Aquele que perder ficará com o componente psicológico ruim por ter sido eliminado por um rival", conscientizou-se o treinador.

Leia tudo sobre: TiteCorinthians

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas