Atual campeão brasileiro é derrotado por 2 a 1 no jogo de ida das oitavas de final da Libertadores. Na partida de volta, se classifica com vitória por 1 a 0

Jogando fora de casa, o  Fluminense  saiu atrás no Emelec na briga por uma vaga na próxima fase da Libertadores nesta quinta-feira. Depois de sair atrás, o time comandado por Abel Braga buscou o empate ainda no primeiro tempo. Mas um gol de pênalti no fim de jogo fez com que a equipe saísse de Guayaquil (Equador) derrotado por 2 a 1 na partida de ida das oitavas de final.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

O Emelec saiu na frente com gol contra do zagueiro Leandro Euzébio aos 32 do primeiro tempo. Antes do intervalo, aos 43, Wagner acertou belo chute e igualou o placar. O empate permaneceu até os 41 da segunda metade, quando o árbitro marcou pênalti Carlinhos em Mondaini. Os jogadores protestaram muito, mas o árbitro confirmou a infração. Gaibor converteu a cobrança e acabou decretando a derrota da equipe dirigida por Abel Braga.

O jogo da volta será realizado em São Januário no dia 8. O Fluminense ficará com a vaga com uma vitória por 1 a 0. Se levar dois ou mais gols, precisará vencer por uma diferença de pelo menos dois gols.

O jogo

A partida começou de forma eletrizante. Logo aos três minutos, Mondaini recebeu no bico esquerdo da grande área, driblou Rafael Sobis e chutou com violência. A bola passou por Diego Cavalieri e explodiu no travessão. Aos cinco, Valencia chutou e a bola desviou na zaga e saiu para escanteio. Na cobrança, a bola ficou com Mondaini que arriscou, mesmo sem ângulo, e quase surpreendeu o goleiro brasileiro.

Depois desse lance, as redes do gol defendido pelo Fluminense se soltaram e alguns minutos foram gastos até que elas fossem consertadas. Só aos 15 minutos é que o Tricolor das Laranjeiras chegou na área equatoriana, com relativo perigo. Rhayner arrancou em velocidade, tocou para Sobis que enfiou para Wellington Nem, mas o goleiro Dreer saiu primeiro e aliviou o perigo.

Para tentar segurar o ímpeto do adversário, o time dirigido por Abel Braga passou a trocar passes sem muita pressão, para tentar modificar o andamento da partida. Aos 23 minutos, Rhayner fez ótima jogada individual e foi derrubado na entrada da área. Wágner cobrou com categoria e o goleiro Dreer fez grande defesa. A bola ainda bateu na trave, antes de ser aliviada pela defesa da equipe equatoriana.

Aos 30 minutos, Valencia cruzou da direita e a bola bateu na mão de Carlinhos. A torcida pediu pênalti, mas o árbitro nada marcou. Dois minutos depois, o Emelec marcou. Vera penetrou pela direita e cruzou para área. O zagueiro Leandro Euzébio tentou cortar e acabou, de forma desastrada, colocando a bola nas redes defendidas por Diego Cavalieri.

Depois do gol, o técnico Abel Braga mandou o meia Thiago Neves aquecer. Sem outra alternativa, o time brasileiro partiu para o ataque e aos 42 minutos, Carlinhos fez boa jogada pela esquerda e cruzou para Wellington Nem que chutou em cima do goleiro equatoriano. No minuto seguinte, o Fluminense marcou o gol de empate.

Depois de cruzamento na área, a zaga do Emelec aliviou mal e a bola sobrou para Wágner que, de fora da área, emendou de primeira, mandando a bola no ângulo direito, sem qualquer chance de defesa para o goleiro equatoriano. Logo depois de sofrer o gol de empate, o Emelec partiu para cima e ainda criou duas chances para marcar, antes que o árbitro encerrasse o primeiro tempo.

Os dois times voltaram mais dispostos a valorizar a posse de bola e só aos seis minutos é que aconteceu o primeiro lance de perigo, quando Wágner cobrou falta pela direita e Carlinhos, no primeiro pau, desviou com grande perigo. Aos 12 minutos. Carlinhos fez ótima jogada pela esquerda, iludindo seu marcador e cruzou rasteiro. O goleiro Dreer se atrapalhou, mas conseguiu ficar com a bola. Logo depois, a equipe tricolor saiu para o ataque em passes rápidos, mas Rhayner errou o cruzamento e devolveu a bola para o time do Equador.

Aos 15 minutos, Wagner errou na saída de bola e Mondaini arrancou para o ataque, mas errou na conclusão e jogou a bola para bem longe. Logo depois desse lance, Thiago Neves entrou no lugar de Rhayner. O Emelec criou um grande momento aos 19 minutos. De Jesus dominou na área tricolor e mesmo cercado por vários zagueiros, ainda conseguiu chutar rasteiro, mas a bola acabou sendo desviada para escanteio.

A equipe equatoriana reassumiu o controle da partida, enquanto o Fluminense apenas se defendia, sem mostrar condições de impor o seu toque de bola. Para tentar corrigir os erros de passe e interromper a pressão do adversário, o técnico Abel Braga colocou o veterano meia Felipe no lugar de Wágner. A partida voltou a ficar equilibrada, embora o time carioca continuasse com muita dificuldade de armar jogadas ofensivas.

Aos 37 minutos, o goleiro Diego Cavalieri apareceu muito bem, ao defender um chute de Mondaini, após boa troca de passes do ataque do Emelec. Aos 41 minutos, Carlinhos e Mondaini trombaram na área e o árbitro marcou pênalti, a favor do Emelec. Os tricolores reclamaram muito, mas o árbitro manteve a marcação. Gaibor bateu no canto esquerdo para colocar o Emelec, novamente em vantagem. Depois de marcar o segundo gol, o Emelec apenas segurou a bola para garantir a vitória.

FICHA TÉCNICA - EMELEC-EQU 2 X 1 FLUMINENSE
Local:
Estádio George Capwell, em Guaiaquil (Equador)
Data: 2 de maio de 2013 (Quinta-feira)
Horário: 22h30(de Brasília)
Árbitro: Wilmar Roldán (Colômbia)
Assistentes: Eduardo Díaz (Colômbia) e Wilson Berrio (Colômbia)
Cartões Amarelos: Bagui (Emelec);Leandro Euzébio (Fluminense)

Gols
EMELEC:
Leandro Euzébio, contra, aos 32 minutos do primeiro tempo. Gaybor aos 41 minutos do segundo tempo;
FLUMINENSE: Wágner aos 43 minutos do primeiro tempo

EMELEC: Esteban Dreer, Vera, John Narvaez, Wilson Morante e Bagui; Pedro Quiñonez, Corozzo(Gaibor), Giménez(Caicedo) e Marcos Mondaini; Valencia e De Jesus(Angulo)
Técnico: Gustavo Quinteros

FLUMINENSE: Diego Cavalieri, Bruno, Gum, Leandro Euzébio e Carlinhos; Edinho, Jean e Wágner(Felipe); Wellington Nem(Samuel), Rhayner(Thiago Neves) e Rafael Sobis
Técnico: Abel Braga

*Com Gazeta

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.