João Leite falou ao iG Esporte sobre decisão vencida pelos paulistas nos pênaltis no Mineirão; para duelo da Libertadores, vê os mineiros como favoritos

Torcida do Atlético-MG lotou Mineirão na final do Brasileiro de 1977, mas título ficou com o São Paulo
Gazeta Press
Torcida do Atlético-MG lotou Mineirão na final do Brasileiro de 1977, mas título ficou com o São Paulo

São Paulo e Atlético-MG disputam a partir desta quinta-feira aqueles que poderão ser considerados os mais importantes jogos da história do confronto. Os clubes, que decidiram o Campeonato Brasileiro em 1977, medirão forças nas oitavas de final da Copa Libertadores. João Leite, ex-goleiro atleticano, falou sobre aquela final, em que os mineiros amargaram o vice.

“Lembrar? Eu estava tentando esquecer! Aquilo é um trauma”, brincou Leite, hoje deputado federal em Minas Gerais, ao iG Esporte logo ao atender o telefone. “O Atlético estava invicto, tinha o artilheiro do campeonato, mais público que o São Paulo e perdemos invictos em casa”.

Naquela edição, o torneio contou com 62 clubes, que foram divididos em seis grupos na primeira fase. Os 30 melhores foram para a próxima etapa, sendo separados novamente em seis chaves. Na terceira fase, a divisão era 24 equipes para quatro grupos.O melhor time de cada foi para a semifinal, disputada no sistema de ida e volta. Apenas a decisão foi em jogo único.

LEIA: Com ingressos esgotados, Aloísio diz que torcida voltou a confiar no São Paulo

E aí entrou a sorte do São Paulo, que tinha uma equipe inferior. O Atlético-MG ostentava campanha de 17 vitórias e três empates, contra 13 vitórias, três empates e quatro derrotas dos paulistas. Na decisão, em um Mineirão lotado, empate por 0 a 0 e vitória são-paulina nos pênaltis.

“Foi um jogo muito disputado. O Sâo Paulo tinha jogadores muito viris, como Chicão e Teodoro. O São Paulo jogou muito duro e nós tivemos a perda do Angelo, que rompeu as articulações do joelho, uma contusão que nunca tínhamos visto. E o Neca nem foi expulso”, recordou João Leite.

Outro trunfo paulista, na visão do ex-goleiro, foi a condição do campo: “Choveu muito, o gramado estava muito pesado. Nosso time era leve, rápido. E o jogo ficou igual”.

Com a igualdade tanto no tempo normal quanto na prorrogação, a decisão foi para os pênaltis e João Leite brilhou ao defender duas cobranças. Mas o heroi da noite acabou sendo Waldir Peres, o goleiro são-paulino.

E MAIS: Cuca tem Atlético-MG pronto para pegar o São Paulo e Ronaldinho motivado

“Fiquei muito concentrado na minha obrigação de tentar defender. O Waldir era matreiro, muito experiente. Usou a malícia a favor dele. Estávamos em casa, com melhor campanha. Tinha toda pressão em cima dos nossos jogadores”, afirmou o deputado.

A catimba do são-paulino deu certo e o time do Morumbi venceu as penalidades por 4 a 2, conquistando o primeiro de seus seis títulos brasileiros.

A vingança veio na Libertadores de 1978. São Paulo e Atlético-MG ficaram na mesma chave. Com um empate no Mineirão e uma vitória fora de casa, os alvinegros eliminaram o rival ainda na fase de grupos.

Atlético-MG favorito nas oitavas
Perguntado sobre os duelos pelas oitavas de final da Libertadores 2013, João Leite não faz sua aposta para quem segue adiante. Mas não esconde, porém, que o favoritismo é todo dos mineiros.

“O Atlético fez uma campanha irretocável. É favorito. Mas não quer dizer que vai vencer”, concluiu o ex-goleiro alvinegro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.