Tamanho do texto

Atacante do São Paulo vem participando diretamente dos gols do São Paulo e quer acabar com jejum nesta quinta, diante do Atlético-MG, pela Libertadores

Osvaldo é, neste ano, um dos principais jogadores do São Paulo , tanto que chegou à seleção brasileira. O atacante vem se destacando pelas boas jogadas em velocidade e ajudando os companheiros, mas, quando tenta balançar a rede, o sucesso não é o mesmo. Já são dois meses sem fazer um gol.

Deixe o seu recado e comente esta notícia com outros torcedores

Osvaldo e nova camisa vermelha do São Paulo
Djalma Vassão/Gazeta Press
Osvaldo e nova camisa vermelha do São Paulo

A última vez que vazou uma meta adversária foi em 28 de fevereiro, na vitória de virada sobre o The Strongest, por 2 a 1, na fase de grupos da Copa Libertadores. Como defesa, ele lembra que, de lá para cá, colaborou com assistências. No domingo, partiu de seus pés o chute que resultou em gol contra do zagueiro Jaílton, do Penapolense. "Participei de poucos jogos no Campeonato Paulista, depois fiquei um tempo na Seleção. Tenho participado dos gols que estão saindo, e isso me deixa mais tranquilo. Não fico preocupado com isso. Minha função é mais deixar meus companheiros na cara do gol", minimizou o atacante, convocado recentemente juntamente com o meia Jadson.

Na quinta-feira, diante do Atético-MG, seu companheiro de frente deverá ser Aloísio. O atacante reserva mais uma vez substituirá Luis Fabiano, que tem mais um jogo de suspensão a cumprir no torneio sul-americano. Além de deixar o colega em condições de marcar, Osvaldo também espera voltar a balançar a rede do Morumbi.

"Sei que é importante marcar também. Em decisões, é melhor ainda. Espero quebrar esse jejum na quinta-feira", comentou o camisa 17, que não tem preferência por um ou outro companheiro de frente.

"Taticamente, com Aloísio ou Luis Fabiano não muda. A forma de jogar vai ser a mesma. O Luis é mais de área, e o Aloísio sai mais. Mas os dois têm características parecidas", comparou.