Tite se previne para Corinthians não cair no 'tapetinho da soberba'

Por Gazeta |

compartilhe

Tamanho do texto

Apesar da boa fase, treinador corintiano alerta que a equipe não pode se deixar contaminar pela onda de otimismo

O bom momento do Corinthians não traz apenas alegrias para Tite. Apesar de satisfeito com a convincente campanha na fase de grupos da Copa Libertadores da América e com a goleada por 4 a 0 sobre a Ponte Preta, que levou o seu time às semifinais do Campeonato Paulista, o técnico não escondeu a preocupação com os elogios exagerados.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

"Já disse algumas verdades no vestiário e cabe aqui repetir. O placar elástico contra a Ponte pode ser um combustível para a gente repetir desempenho, mas também faz as pessoas falarem a toda hora que somos um dos favoritos, que goleamos um time que não vinha perdendo, que pegaremos um Boca que está mal no Campeonato Argentino... Esse tapetinho da soberba não pode entrar no nosso trabalho", advertiu.

Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians
O técnico Tite orienta os jogadores do Corinthians durante a goleada de 4 a 0 sobre a Ponte Preta

Veja também: Tite elogia Danilo Fernandes e não garante Cássio contra o Boca

Justamente para não cair no "tapetinho da soberba", Tite fez questão de minimizar a goleada sobre a Ponte Preta. O técnico apontou as falhas do Corinthians na partida e valorizou o fato de ter atuado com um jogador a mais (o volante Baraka foi expulso) em boa parte do segundo tempo.

"Foi um resultado atípico, construído em cima de bom desempenho. Ainda assim, não fomos bem nos primeiros 15 minutos. Só a Ponte jogou. Depois, soubemos tirar proveito da expulsão. O placar elástico foi em função disso. Eles perderam um atleta, e o jogo morreu", analisou, ciente de que qualquer cobrança parece excessiva após um 4 a 0. "Vão me chamar de chato, mas sou assim mesmo."

Leia também: Pato se diz feliz mesmo na reserva e promete agarrar oportunidades

Para Tite, o Corinthians precisa "sentir sede na garganta" para seguir em evolução. O técnico apelou até para um exemplo da Liga dos Campeões da Europa para fazer seus comandados não se deixarem levar por elogios.

"Eles devem pensar e ser um pouquinho inteligentes em campo. O Bayern de Munique nos ensina essa grande lição quando a gente vê o Ribéry vindo marcar para que os outros jogadores de frente, como Robben e Müller, possam decidir contra um Barcelona. Se a gente virar as costas para tudo, não ganhamos nada", concluiu o cauteloso Tite.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas