Rafael rejeita rótulo de herói do Santos e explica movimentação nos pênaltis

Por iG São Paulo * |

compartilhe

Tamanho do texto

Goleiro defendeu duas cobranças na disputa com o Palmeiras e foi decisivo na classificação do time para a semifinal do Paulista

O goleiro Rafael foi decisivo para a classificação do Santos para as semifinais do Campeonato Paulista. Após defender as cobranças dos atacantes Kleber e Leandro, ele evitou ser rotulado como herói pela vitória por 4 a 2 na disputa por pênaltis com o Palmeiras. O clássico terminou empatado por 1 a 1 no tempo regulamentar.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

"Não gosto de falar em herói. É lógico que chamam o goleiro dessa forma depois de pênaltis defendidos, mas toda a equipe se doou muito", comentou Rafael, que se preparou para se destacar nas penalidades. "A gente treina, né? Mas é difícil, pois o Palmeiras tem grandes batedores, mas treino pênaltis todas as sextas", avisou.

Para colocar em prática o que treinou, Rafael apostou em uma movimentação constante sobre a linha do gol. O objetivo era desconcentrar os palmeirenses. "Quis fazer alguma coisa diferente. Eu me sinto melhor assim, mais ligado do que se estivesse parado. Também é bom para deixar o gol um pouco menor. Às vezes, dá certo. Hoje, deu", sorriu.

Ainda que não se considere um herói, o goleiro do Santos lembrou que a boa atuação serviu para coroar uma semana especial. "Pegar pênaltis é bom em qualquer circunstância, mas foi Dia do Goleiro (em 26 de abril) nesta semana, o que torna isso mais legal ainda. Gostei de ver o carinho das pessoas pelo nosso trabalho. Estou ainda mais animado porque jogo em um time espetacular como o Santos", enalteceu.

*Com Gazeta

Leia tudo sobre: RafaelSantosCampeonato Paulista 2013

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas