Após eliminação no Campeonato Paulista diante do Santos no pênaltis, time se prepara para começar a disputa das oitavas de final da Libertadores

Charles tenta impedir ataque do Santos durante o clássico na Vila Belmiro
Ricardo Saibun/ Gazeta Press
Charles tenta impedir ataque do Santos durante o clássico na Vila Belmiro

Pelo segundo ano seguido, o Palmeiras foi eliminado nas quartas de final do Campeonato Paulista, mas o abatimento não é tão grande pelo desempenho do time para empatar por 1 a 1 com o Santos neste sábado, na Vila Belmiro. Derrotada nos pênaltis , a equipe sente que provará sua força na terça-feira, diante do Tijuana, no México, pela Libertadores.

"Caímos de pé, caímos de pé", definiu Wesley, insistindo na sensação de satisfação da equipe no clássico no litoral paulista. "O time foi determinado até o fim. Infelizmente, não conseguimos concretizar e fazer os gols, mas tem a Libertadores na terça-feira", concordou Mauricio Ramos.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Os jogadores mais experientes até se preocuparam em ressaltar a importância do confronto em Tijuana. A partida é a primeira das duas válidas pelas oitavas de final da competição continental e aumentou sua relevância, já que resta só a Libertadores ao Palmeiras antes de iniciar a disputa da Série B do Brasileiro.

"Temos que levantar a cabeça porque temos um jogo difícil contra o Tijuana. Temos que buscar força", comentou o goleiro Bruno, autor de defesas decisivas no 1 a 1 no tempo normal, mas que não conseguiu segurar nenhuma das quatro cobranças santistas.

Leandro, que perdeu a sua cobrança, assim como Kleber, lamentou o gol santista, aos 12 minutos de jogos. "Entramos dormindo e tomamos um gol. Depois, voltamos e empatamos. É esse espírito que vamos levar para Tijuana. Agora é bola para frente", disse o atacante, impedido de atuar na Libertadores por ter sido inscrito pelo Grêmio.

*Com Gazeta

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.