Palmeirense ainda não marcou pela sua nova equipe e santista tenta retomar a titularidade

Kleber ainda não marcou pelo Palmeiras
Djalma Vassão/Gazeta Press
Kleber ainda não marcou pelo Palmeiras

O primeiro clássico que custará a eliminação de um grande paulista na temporada é uma oportunidade para dois contestados centroavantes, enfim, mostrarem seu valor. André, do Santos , e Kleber, do Palmeiras , terão no jogo único das quartas de final do Estadual neste sábado, na Vila Belmiro, mais uma chance de provar que merecem o número 9 que levam nas costas.

Leia mais: Santos e Palmeiras fazem primeiro clássico de sobrevivência do ano

Dos dois, quem vive pior situação é Kleber. O atacante foi considerado uma das principais contratações do clube para a temporada por já ter sido até convocado para a Seleção Brasileira, em 2011, por Mano Menezes. Trazê-lo de graça por empréstimo do Porto, apesar de lhe pagar um dos maiores salários do elenco, foi considerado uma estratégia inteligente da diretoria. Até o jogador entrar em campo.

Em menos de três meses no clube, o reforço já tratou de três lesões diferentes, sendo duas delas musculares e ainda uma tendinite no joelho direito que o atrapalha com frequência, sendo suportável somente à base de remédios. Desde então, o substituto de Barcos só atuou em seis partidas, decepcionando em todas elas.

André domina a bola e tenta se livrar da marcação na Vila Belmiro
Rafael Neddermeyer/Agência O Dia
André domina a bola e tenta se livrar da marcação na Vila Belmiro


É impossível para qualquer palmeirense esquecer o lance que marcou o jogador, quando entrou na grande área com liberdade, tendo colegas livres ao lado, e preferiu iniciar uma sequência de dribles em zagueiro do Tigre, na Argentina. Foi desarmado na segunda tentativa de finta e, segundos depois, o time da casa marcou o gol da vitória por 1 a 0. "Fui displicente", admitiu ao fim do jogo. Os relatos são de que ele mal dormiu após o lance. Desde sua apresentação, Kleber mostrou confiar no Verdão, a ponto de contestar um repórter que lhe disse que o time era o grande menos cotado a ser campeão. Por essa postura, ainda inspira confiança. "Confio que o Kleber vai dar certo", afirmou o presidente Paulo Nobre. Gilson Kleina pensa parecido, tanto que até deve apostar no jogador caso a classificação neste sábado seja definida nos pênaltis.

O duelo contra o Santos é decisivo para Kleber provar seu valor. Mesmo se iniciar o clássico no banco, o jogador deve ser escalado e, ao menos balançando as redes, iniciará uma caminhada que convencerá o Palmeiras a fazer o Porto cumprir o acordo verbal de mantê-lo no Verdão até o fim do ano - o contrato atual acaba em 30 de junho. Decepcionar de novo pode restringir ainda mais sua caminhada no clube.

Uma encruzilhada também marca o centroavante adversário do Palmeiras. Contratado para resolver o problema da camisa 9 do Santos, em agosto do ano passado, André ainda não conseguiu repetir, na sua segunda passagem pelo clube praiano, o sucesso alcançado na primeira estadia na Vila Belmiro. O jogador fez parte do time que conquistou o Campeonato Paulista e a Copa do Brasil de 2010, com um futebol que encantou o país e ficou marcado na memória do torcedor do Peixe.

Na atual temporada, André oscilou, amargou um período sem marcar gols, chegou a ter o seu condicionamento físico questionado, e foi parar na reserva. Mas, agora, o atacante reconquistou a confiança do técnico Muricy Ramalho, voltando a ser titular. O fator crucial para André retornar ao time titular foi a sua atuação contra a Penapolense, no último domingo. O centroavante marcou o primeiro gol do triunfo alvinegro, por 2 a 1. "Temos muitos jogadores de lado e ninguém dentro da área. O André fez gol, participou bastante e aproveitou a oportunidade. Esperamos que ele possa dar continuidade", discursou Muricy.

O próprio centroavante está consciente de que esta é a chance de se firmar de vez entre os titulares. Autor de seis gols no Paulistão, André voltou ao Santos por empréstimo até o fim deste ano. O Peixe desembolsou 2 milhões de euros pela negociação, adquirindo também 25% dos seus direitos econômicos.

"Ser titular é muito bom. Fico muito feliz de voltar a marcar gols. Respeitei o bom momento do Giva, continuei trabalhando. Vinha treinando e agora é dar sequência a isso. Ficar de fora é ruim. Só ver os outros jogarem é meio chato", comentou o atacante.

Sobre o duelo com o Palmeiras, marcado para este sábado, às 16h15 (horário de Brasília), na Vila Belmiro, o camisa 9 pediu respeito ao rival e quer ver a equipe santista garantindo a vaga nas semifinais da competição, no tempo normal - caso a partida termine empatada, o vencedor será conhecido nas cobranças de pênaltis.

"Temos de nos impor. O Palmeiras é muito forte e precisamos ter atenção total, para não tomarmos gols. A gente nem pensa em empate, vamos entrar para ganhar o jogo. Esperamos não precisar do sofrimento nos pênaltis", encerrou André.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.