Mário Gobbi recebe no Parque São Jorge parentes de presos em Oruro

Por iG São Paulo * |

compartilhe

Tamanho do texto

No Parque São Jorge, o dirigente explicou o que está sendo feito na tentativa de libertar os torcedores corintianos que estão na Bolívia

O presidente do Corinthians, Mário Gobbi, recebeu nesta quinta-feira familiares dos 12 torcedores presos na Bolívia. No Parque São Jorge, o dirigente explicou o que está sendo feito na tentativa de libertar os corintianos, acusados de participação na morte do garoto Kevin Beltrán, de 14 anos, atingido por um sinalizador na partida contra o San José.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

De acordo com comunicado do clube, Gobbi manifestou "o engajamento do clube até que os brasileiros recebam tratamento adequado". E relatou os encontros com José Eduardo Cardozo, ministro da Justiça, e Antonio Patriota, ministro das Relações Exteriores, para resolver a questão.

Sete dos 12 corintianos presos na Bolívia foram liberados na noite de quinta-feira, dia 6 de junho. Foto: Daniel Rodrigo/ReutersCorintiano exibiu a bandeira do Brasil ao deixar a prisão na Bolívia. Foto: Daniel Rodrigo/ReutersOs 12 corintianos presos em Oruro. Eles são investigados pela morte de Kevin Beltrán Espada durante a partida entre Corinthians e San José. Foto: Daniel Rodrigo/ReutersCorintianos participam de jogo com outros presidiários na cadeia de Oruro. Foto: Daniel Rodrigo/ReutersCorintianos posam para fotos com bolivianos em presídio de Oruro, onde estão presos desde 20 de fevereiro. Foto: Daniel Rodrigo/ReutersCorintianos presos em Oruro, na Bolívia. Foto: Daniel Rodrigo/ReutersCorintianos presos usam camisa em homenagem a Kevin Beltrán. Foto: Daniel Rodrigo/ReutersCorintianos na quadra do presídio San Pedro, em Oruro, na Bolívia. Foto: Daniel Rodrigo/ReutersOs torcedores corintianos foram transferidos para um presídio de Oruro. Foto: APTorcedores da Gaviões da Fiel fizeram protesto em frente ao Consulado da Bolívia em São Paulo. Foto: Gazeta PressTorcida pediu por justiça aos detentos de Oruro. Ela alega que eles são inocentes. Foto: Gazeta PressTorcida do Corinthians protesta em frente ao Consulado da Bolívia na Avenida Paulista. Foto:  J. Duran Machfee/Futura Press

Cardozo foi na semana passada a Oruro checar a condição dos presos, que reclamam do tratamento recebido na penitenciária San Pedro. E conseguiu agendar a viagem do fiscal boliviano Alfredo Santos Canaviri ao Brasil para tomar o depoimento do menor que assumiu a autoria do disparo.

A confissão, feita em Guarulhos, não foi inicialmente levada em conta pela Justiça boliviana. Com a disposição em ouvir o garoto de 17 anos - que, pelas normas internacionais, não pode ser extraditado -, a expectativa é que clareie a situação dos detidos.

Os 12 torcedores estão na penitenciária desde o dia da morte de Kevin, 20 de fevereiro. Houve pedidos de liberdade provisória negados, apesar dos esforços em várias frentes. Ainda não há previsão de julgamento.

*Com Gazeta

Leia tudo sobre: Mário GobbiKevin BeltránOruroCorinthians

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas