No Parque São Jorge, o dirigente explicou o que está sendo feito na tentativa de libertar os torcedores corintianos que estão na Bolívia

O presidente do Corinthians, Mário Gobbi, recebeu nesta quinta-feira familiares dos 12 torcedores presos na Bolívia. No Parque São Jorge, o dirigente explicou o que está sendo feito na tentativa de libertar os corintianos, acusados de participação na morte do garoto Kevin Beltrán, de 14 anos, atingido por um sinalizador na partida contra o San José.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

De acordo com comunicado do clube, Gobbi manifestou "o engajamento do clube até que os brasileiros recebam tratamento adequado". E relatou os encontros com José Eduardo Cardozo, ministro da Justiça, e Antonio Patriota, ministro das Relações Exteriores, para resolver a questão.

Cardozo foi na semana passada a Oruro checar a condição dos presos, que reclamam do tratamento recebido na penitenciária San Pedro. E conseguiu agendar a viagem do fiscal boliviano Alfredo Santos Canaviri ao Brasil para tomar o depoimento do menor que assumiu a autoria do disparo.

A confissão, feita em Guarulhos, não foi inicialmente levada em conta pela Justiça boliviana. Com a disposição em ouvir o garoto de 17 anos - que, pelas normas internacionais, não pode ser extraditado -, a expectativa é que clareie a situação dos detidos.

Os 12 torcedores estão na penitenciária desde o dia da morte de Kevin, 20 de fevereiro. Houve pedidos de liberdade provisória negados, apesar dos esforços em várias frentes. Ainda não há previsão de julgamento.

*Com Gazeta

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.