Kleina justifica mistério: "Todo dia que acordo, perco um jogador"

Por iG São Paulo * |

compartilhe

Tamanho do texto

Desfalques fazem treinador do Palmeiras esconder a escalação do time para o confronto diante do Santos pelas quartas de final do Campeonato Paulista

Gazeta Press
Gilson Kleina, técnico do Palmeiras

Pela primeira vez em oito meses no Palmeiras, Gilson Kleina escondeu qualquer pista sobre a escalação que vai usar. Justamente antes de sua primeira decisão no clube, diante do Santos, em jogo único das quartas de final do Paulista, na Vila Belmiro. Mas o argumento do técnico é a frequência de desfalques do seu time.

"O mistério está acontecendo até para mim. Todo dia que acordo, estou perdendo um jogador", sorriu o treinador, que nesta semana soube dos vetos ao goleiro Fernando Prass, ao zagueiro Vilson e ao meia Valdivia, todos machucados e que compõem a lista de lesionados ao lado do zagueiro Leandro Amaro e dos meias Patrick Vieira e Edilson.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Confundir a cabeça de Muricy Ramalho, contudo, é uma das finalidades da estratégia. "Enfrentaremos uma equipe muito qualificada, com profissionais altamente experientes. Vamos deixar para pensar bem depois, mais próximo do jogo. Vamos aguardar, senão o Muricy vai pegar tudo. Desta vez, peço privacidade", solicitou Kleina.

O técnico, porém, já se antecipa dizendo que não espera vencer só porque comandou treino fechado na manhã desta sexta-feira na Academia de Futebol. "Não fechamos o treino como uma receita de vitória ou pensando que isso vai determinar o jogo, mas para ter privacidade das mudanças. O Muricy sabe do nosso elenco, acompanha como o Palmeiras joga. Não tem mistério."

Entre as certezas de Gilson Kleina, estão o goleiro Bruno, o zagueiro Henrique, o volante Léo Gago e o atacante Leandro - estes dois últimos estão garantidos porque não podem ser inscritos na Libertadores e, por isso, ficam sem condições de enfrentar o Tijuana na terça-feira, no México.

O mais provável é que o volante Marcelo Oliveira seja improvisado na lateral esquerda, com Márcio Aráujo marcando à frente da área e Ayrton na lateral direita. O meio-campo, caso a opção seja pelo 4-5-1, deve ser composto por Charles, Souza e Wesley na armação, mas é possível que um deles saia para Vinicius entrar na frente.

Em sua entrevista coletiva, o treinador ainda falou da possibilidade de usar um centroavante, já que Kleber está à disposição pela primeira vez desde 20 de março. "Fizemos variações com um e dois atacantes. O que é importante é que temos o Kleber e o Caio à disposição", comemorou Kleina.

*Com Gazeta

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas