Para secretário-geral da Fifa, é melhor ter um chefe de estado centralizador, como o russo Vladimir Puttin, para se organizar um Mundial

Valcke acha que a descentralização do poder atrapalha na organização da Copa 2014
Reuters
Valcke acha que a descentralização do poder atrapalha na organização da Copa 2014

O secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, disse, nesta quarta-feira, que é mais fácil organizar uma Copa do Mundo em países onde a democracia não tenha tanta força. O dirigente da entidade máxima do futebol considera a forte centralização do poder na Rússia, país-sede da Copa de 2018, um fator facilitador.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

"Vou dizer algo que é maluco, mas menos democracia às vezes é melhor para se organizar uma Copa do Mundo. Quando você tem um chefe de Estado forte, que pode decidir, assim como Putin poderá ser em 2018, é mais fácil para nós, organizadores, do que um país como a Alemanha, onde você precisa negociar em diferentes níveis", declarou Valcke.

Veja também: Com medo do legado de 2014, Edmílson vê “Brasil inteiro” em crise

Valcke disse que muitos dos problemas enfrentados pela entidade no Brasil se devem à descentralização do poder.

Leia também: Primeiros ingressos para a Copa do Mundo são disponibilizados pela Fifa

"A principal dificuldade que temos é quando entramos em um país onde a estrutura política é dividida, como no Brasil, em três níveis: federal, estadual e municipal. São pessoas diferentes, movimentos diferentes, interesses diferentes. É difícil organizar uma Copa nessas condições", completou o secretário-geral.

* Com Gazeta Esportiva

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.