Disputa política no Vasco aumenta e Eurico estuda 'golpe de Estado'

Por iG Rio de Janeiro * |

compartilhe

Tamanho do texto

O dirigente ameaçou "tomar de assalto" o Vasco se o time estiver ameaçado de rebaixamento no Campeonato Brasileiro

Gazeta Press
Eurico presidiu o Vasco de 2001 a 2008

As eleições no Vasco estão programadas para acontecerem apenas em 2014, mas o clima político já está tomando conta dos corredores do clube. Isso é fruto dos problemas financeiros enfrentados e pela péssima campanha na temporada. O Vasco já está eliminado do Campeonato Carioca e só vai voltar a disputar uma partida oficial no dia 26 de maio, quando estreia no Campeonato Brasileiro medindo forças com a Portuguesa, no Rio de Janeiro.

A volta de Eurico é boa para o Vasco? Deixe o seu recado e comente a notícia 

No início da semana, o grupo Casaca, chapa de oposição da qual faz parte Eurico Miranda, reiterou, através de nota oficial emitida, sua participação nas próximas eleições à presidência do clube. Na noite de terça-feira, foi a vez do próprio Eurico se pronunciar. Mais uma vez ele disse não ter como objetivo ser o candidato em 2014, mas surpreendeu ao acenar com um "golpe de Estado" ainda este ano. O dirigente ameaçou "tomar de assalto" o Vasco se o time estiver ameaçado de rebaixamento no Brasileirão.

"Já falei e vou repetir, se eu sentir que há possibilidade de (o Vasco) cair para a Segunda Divisão, eu vou e tomo de assalto. Da outra vez que o time foi rebaixado, eu me ofereci para ajudar e não quiseram. Esses caras têm que ser expulsos do Vasco se estiverem levando o clube para a Segunda Divisão", afirmou Eurico em entrevista à Rádio Bradesco.

Leia mais: Com poucos recursos, Vasco apela a trocas para se reforçar

O presidente Roberto Dinamite tem evitado se posicionar sobre as críticas da oposição e, quando o faz, lembra que esse grupo esteve no poder e contribuiu para os problemas financeiros do Vasco. Certo é que a disputa eleitoral no Vasco já começou e s,e o time não começar a reagir dentro de campo, deverá esquentar ainda mais ao longo do Campeonato Brasileiro. Além da ameaça de Eurico, alguns membros da oposição já trabalham no sentido de tentarem o impeachment de Roberto Dinamite. Para isso, estão reunindo documentos relativos a dívidas com órgãos publicos e contratos com jogadores.

Roberto Dinamite assumiu a presidência do Vasco em 2008, no meio da disputa do Campeonato Brasileiro, que acabou com o rebaixamento do time para a Segunda Divisão. Em 2009 o Vasco conquistou o acesso com o título da Série B. O melhor momento do atual presidente foi em 2011, quando a equipe conquistou a Copa do Brasil e ficou em segundo lugar no Brasileirão.

Veja também: Dedé e diretoria vascaína aguardam notificação sobre transferência

Sobre reforços, nas próximas horas o clube pode anunciar uma troca entre atacantes com o Palmeiras. O equatoriano Carlos Tenorio passaria a defender o Verdão, enquanto Maikon Leite defenderia as cores do Cruz-Maltino. Além disso, o clube carioca tenta a liberação de mais algum jogador do clube paulista por conta da negociação que levou o goleiro Fernando Prass para o Palmeiras em dezembro. Fora isso, o Vasco ainda busca a contratação de outros reforços para o restante da temporada.

Dentro de campo, os jogadores seguem de férias e a reapresentação acontecerá na próxima semana. A tendência é que o grupo fique um período treinando longe do Rio de Janeiro na preparação para o Campeonato Brasileiro. Além disso, o departamento de futebol estuda a realização de alguns amistosos para auxiliar o técnico Paulo Autuori a observar os jogadores e montar a equipe.

* com Gazeta

Leia tudo sobre: eurico mirandavascoroberto dinamitevascoeleição

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas