Camisa azul de Rogério Ceni faz sucesso após vaga e será vendida em maio

Por Gazeta |

compartilhe

Tamanho do texto

Enquanto a peça não chega ao varejo, um exemplar está exposto na mega loja da Penalty no estádio do Morumbi

Ao subir ao gramado do Morumbi na quarta-feira passada para enfrentar o Atlético-MG, o goleiro Rogério Ceni chamou atenção dos mais de 50 mil presentes. Em vez de camisa preta ou bordô, estreou uma azul celeste. O modelo fez sucesso – impulsionado, claro, pela vitória por 2 a 0 (com um gol seu) e a classificação às oitavas de final da Copa Libertadores – e será colocado à venda a partir da segunda quinzena de maio.

Sem dor, Negueba já pensa em ajudar São Paulo na Libertadores

Desde o lançamento da coleção de uniformes, em janeiro, a fornecedora de material esportivo já havia antecipado que, ao longo do ano, haveria três opções de cor para a camisa de goleiro. As duas primeiras são comercializadas atualmente por R$ 209,99.

Torcida no Morumbi leva bandeira para homenagear Rogério Ceni. Foto: Léo Pinheiro/Futura PressRogério Ceni completou 1117 jogos pelo São Paulo. Foto: Site oficialJuvenal Juvêncio, Rogério Ceni e João Paulo de Jesus Lopes na reunião para renovação de contrato do goleiro. Foto: Site Oficial / saopaulofc.netRogério Ceni é festejado pelos companheiros de São Paulo após abrir o placar em Itu. Foto: Helio Suenaga/Gazeta PressRogério Ceni comemora classificação na Colômbia. Foto: Luis Benavides/APRogério Ceni reverencia Muricy Ramalho no Morumbi. Foto: Wagner Carmo/Inovafoto/Gazeta PressUribe aproveita falha da defesa do São Paulo e marca para o Atlético Nacional. Foto: Nelson Antoine/APCeni, goleiro do São Paulo, teve atuação de destaque na vitória sobre a Universidad Católica na Sul-Americana. Foto: Reprodução/Fifa.comRogério Ceni levou três gols, mas fez belas defesas e ajudou na classificação do São Paulo na Sul-Americana. Foto: Rubens Chiri/DivulgaçãoNa volta ao Brasil após oitavas da Sul-Americana, Ceni foi ovacionado no aeroporto. Foto: Beto Martins/Futura PressRogério Ceni se estica, mas não consegue evitar gol de falta de Alex na derrota do São Paulo para o Coritiba. Foto: Gazeta PressRogério Ceni lamenta pênalti perdido. Foto: Djalma Vassão/Gazeta PressSra. Albertina, viúva de Leônidas da Silva, recebe placa em homenagem ao ex-jogador. Foto: MIGUEL SCHINCARIOL / Gazeta PressRogério Ceni defende cabeçada do zagueiro Edson Silva durante treino no CT. Foto: Divulgação/SPFCRogério Ceni com a bola no jogo contra o Atlético-PR. Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.netRogério Ceni em treino nesta quarta-feira (14/08/2013). Foto: Fernando Dantas/Gazeta PressRogério Ceni teve chance em cobrança de pênalti, mas viu Lauro defender. Foto: Gazeta PressRogério Ceni só olha a bola entrar no seu gol no segundo do Kashima. Foto: ReutersGoleiro Rogério Ceni também posou para fotos com fãs no Japão. Foto: Site oficial/SPFCRogério Ceni posa para foto com torcedor na chegada a Lisboa. Foto: Site Oficial / saopaulofc.netRogério Ceni marcou de falta, mas não evitou derrota do São Paulo por 3 a 2 para o Vitória. Foto: Gazeta PressO técnico Paulo Autuori observa a final da Copa Audi, entre Bayern e Manchester City, ao lado do goleiro Rogério Ceni. Foto: Divulgação/Site oficial do São PauloRogério Ceni conversa com Wellington durante a derrota do São Paulo para o Bayern de Munique. Foto: Getty Images/Stuart FranklinMitchell Weiser chuta para fazer o segundo gol do Bayern de Munique em cima do São Paulo na Copa Audi. Foto: Getty ImagesRogério Ceni fala inglês na chegada a Munique para a Audi Cup. Foto: Reprodução/YoutubeLuan fez os três gols do Cruzeiro contra o São Paulo no Morumbi. Foto: Piervi Fonseca/Agif/Gazeta PressDanilo vence Ceni e faz o segundo gol do Corinthians na final da Recopa. Foto: Andre Penner/APRogério Ceni comemora gol contra o Atlético-MG pela Libertadores. Foto: Djalma Vassão/Gazeta PressRogério Ceni: goleiro do São Paulo completa 40 anos. Foto: VipcommRogério Ceni ao lado de Muricy Ramalho em 1996. Foto: Gazeta PressNos seus 40 anos de vida, Rogério fez 1048 partidas como titular do São Paulo. Foto: Gazeta PressRogério com a camisa número 618, em referência ao número de jogos que fez pelo São Paulo quando se tornou recordista de atuações pelo clube. Foto: Gazeta PressRogério Ceni em ação pela seleção brasileira em 2001. Foto: Getty ImagesRogério Ceni, ao lado de Rivaldo, em Ulsan, no Japão, durante a Copa do Mundo de 2002. Foto: Gazeta PressOs dois se reencontraram quase uma década depois, quando Rivaldo defendeu o São Paulo. Foto: Getty ImagesRogério Ceni encontra Marcos em clássico entre São Paulo e Palmeiras. Os dois estiveram juntos pela seleção brasileira na Copa de 2002. Foto: Getty ImagesRogério Ceni festeja gol na vitoriosa campanha da Libertadores de 2005. Foto: Gazeta PressCapitão do São Paulo, Rogério Ceni levanta taça de campeão da Libertadores de 2005. Foto: Gazeta PressDe pênalti, Rogério marca gol na vitória do São Paulo sobre o Al Ittihad, na semifinal do Mundial de 2005. Foto: Getty ImagesRogério Ceni foi o capitão no título do Mundial de Clubes de 2005. Foto: Getty ImagesAlém do título, Rogério ainda ficou com o prêmio de melhor jogador do Mundial em 2005. Foto: Getty ImagesRogério saiu do banco na Copa do Mundo de 2006 e participou da vitória por 4 a 1 sobre o Japão, na primeira fase. Foto: Getty ImagesRgoério cumprimenta Juninho Pernambucano. Os dois estiveram juntos na seleção brasileira da Copa de 2006. Foto: Futura PressRogério defende cobrança de pênalti. Foto: Getty ImagesRogério Ceni com a filha Beatriz nos braços após treino do São Paulo. Foto: Getty ImagesRogério Ceni cobra falta contra o Corinthians para marcar o 100º gol da carreira. Foto: DivulgaçãoO goleiro são-paulino celebra após marcar o 100º gol de sua carreira. Foto: VipcommJogadores do São Paulo perfilam com a camisa de Rogério Ceni no dia em que goleiro completou 21 anos no clube. Foto: VipcommRogério Ceni coloca a faixa de capitão em Lucas na comemoração do título da Sul-Americana. Foto: VipcommAo lado do jovem meia, que se despedia do São Paulo, comemora o título da Sul-Americana. Foto: Gazeta PressTorcida do São Paulo homenageia Rogério Ceni com faixa no Morumbi. Foto: Gazeta Press

Enquanto a peça não chega ao varejo, um exemplar está exposto na mega loja da Penalty no estádio. E não é qualquer exemplar. Trata-se da camisa que Ceni vestiu no primeiro tempo do jogo de quarta-feira. A que envergava, portanto, quando motivou seus colegas a "escrever história", como revelou vídeo de vestiário divulgado depois. Curiosamente, o título da campanha de marketing da empresa para o clube é "faz história".

A coloração incomum da camisa gerou repercussão antes mesmo de o goleiro abrir o placar, em cobrança de pênalti no segundo tempo, ou do apito final. Tão logo ele apareceu, o assunto foi parar nas redes sociais. Para alguns, o tom lembrou camisa lançada em 2012 em homenagem a uruguaios do passado. Para outros, foi provocação ao Atlético pela rivalidade com o Cruzeiro.

Carleto celebra folga na semana para "lavagem espiritual" no São Paulo

Na decisão da Libertadores de 2006, uma camisa parecida causou igual efeito. O São Paulo tinha como adversário o Internacional, e Ceni, na opinião de muitos, teria feito questão de remeter ao Grêmio em pleno Beira-Rio. Diferentemente do que ocorreu na semana passada, porém, o goleiro não teve grande desempenho. Pelo contrário. Falhou em cruzamento, no primeiro gol colorado, e foi um dos vilões do vice-campeonato. No ano seguinte, um modelo azul escuro foi utilizado no título brasileiro.

Após a surpresa do ídolo na Libertadores, o São Paulo se preocupa momentaneamente de novo com o Campeonato Paulista. No domingo, o time enfrenta o Penapolense, pelas quartas de final da competição estadual, e apresenta outra novidade. O uniforme dos jogadores de linha será vermelho, em alusão à cor das novas cadeiras do Morumbi, palco da partida.

Leia tudo sobre: São PauloRogério Ceniigsp

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas