"Vai ser uma perda muito grande para o futebol brasileiro, mundial, e principalmente para o São Paulo", disse o meia sobre a aposentadoria do goleiro no final do ano

Aos 40 anos de idade, Rogério Ceni foi um dos jogadores mais entusiasmados na última quarta-feira, após a vitória por 2 a 0 contra o Atlético-MG . O resultado garantiu a classificação do São Paulo para as oitavas de final da Copa Libertadores, competição que o goleiro acredita disputar pela última vez em 2013. Com contrato só até o final do ano, o camisa 01 sonha com seu tricampeonato continental.

Leia mais: Ademilson revela que Ceni citou aposentadoria para motivar a equipe

Reserva de Zetti em 1993 e titular em 2005, Ceni renovou o vínculo justamente pela possibilidade de disputar mais uma Libertadores, condição alcançada pelo São Paulo em duas vias – o quarto lugar do Campeonato Brasileiro e o título da Copa Sul-americana do ano passado. Para o companheiro Ganso, contratado pelo Tricolor em setembro de 2012, a ideia do grupo é permitir um fim de carreira vitorioso para o “mito”.

Veja também: Rogério Ceni admite que pênalti perdido seria fatal para sua carreira

“Primeiro posso destacar que é uma felicidade enorme jogar com ele, um cara que é exemplo para todos. Esse apelido de mito caiu bem para ele. Difícil considerar a possibilidade de ele parar, porque da maneira que se cuida, treina, do profissional que ele é, é difícil pensar. Vai ser uma perda muito grande para o futebol brasileiro, mundial, e principalmente para o São Paulo. Espero, junto com o grupo, ajudar a conquistar muitos títulos, inclusive o da Libertadores”, disse Ganso, revelando o pacto são-paulino por um novo título ao experiente goleiro.

E ainda: Capitão exalta raça e confirma aposentadoria para o final do ano

Na partida contra o Atlético-MG , Rogério Ceni chegou ao extremo de interromper uma entrevista de Ganso para elogiá-lo e dizer que ele foi o melhor jogador em campo na vitória por 2 a 0. No dia seguinte à classificação, o camisa 8 agradeceu cada palavra direcionada pelo companheiro: “Ele sabe ler o jogo como ninguém, porque da área dele pode ver bem. Ele é um exemplo para mim e espero estar melhorando sempre, para chegar a esse nível”.

Passada a euforia da classificação às oitavas de final, o Tricolor foca na fase de mata-mata, quando duelará novamente contra o Atlético-MG, primeiro no Morumbi e depois no Independência. Simultaneamente, os comandados de Ney Franco têm obrigações no Campeonato Paulista, competição da qual saiu classificado na liderança isolada da primeira fase.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.