Fluminense bate o Caracas com gol de Sobis e termina em primeiro

Com o resultado positivo, o Tricolor das Laranjeiras garantiu o primeiro lugar no Grupo 8 da Copa Libertadores

Gazeta |

Felipe Dana/AP
Edinho prepara bicicleta no jogo contra o Caracas

O Fluminense derrotou o Caracas, da Venezuela, por 1 a 0, em partida disputada na noite desta quinta-feira, em São Januário. Com o resultado, o Tricolor das Laranjeiras garantiu o primeiro lugar no Grupo 8, da Taça Libertadores. com 11 pontos ganhos, três a mais do que o Grêmio que também garantiu a passagem para a próxima fase da competição sul-americana. Rafael Sobis, no segundo tempo, fez o único gol da partida.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

O resultado fez justiça ao melhor desempenho da equipe brasileira. Mesmo sem ser brilhante, o time dirigido por Abel Braga mostrou mais objetividade do que o Caracas e soube alcançar o resultado que precisava. O Caracas que acabou na lanterna da chave, com seis pontos ganhos, só mostrou um grupo esforçado, mas de pouca capacidade técnica.

Leia mais: Com muito drama, Grêmio segura Huachipato e garante vaga nas oitavas

A partida começou de forma aberta, com as duas equipes procurando o ataque. Logo aos dois minutos, o Fluminense criou o primeiro momento de emoção. Bruno investiu pela direita e cruzou para a entrada de Wagner que cabeceou, com grande perigo. A resposta dos visitantes não demorou. Após cobrança de escanteio, Farias subiu mais do que os zagueiros tricolores e sua cabeçada passou bem perto do gol defendido por Diego Cavalieri.

O Tricolor das Laranjeiras seguiu procurando o gol e quase consegue o seu objetivo, aos nove minutos. Carlinhos cruzou da esquerda, o goleiro Vega ficou plantado na pequena área e Wellington Nem apareceu na pequena área para cabecear, mas mandou a bola por cima do travessão, desperdiçando uma grande oportunidade.

O Fluminense passou a cadenciar o jogo e, por volta dos 15 minutos, o técnico Abel pediu para que Rhayner e Wellington Nem trocassem de posição, para tentar confundir a marcação venezuelana. O time carioca dominava a partida, mas encontrava grande dificuldade para penetrar na defesa.

Só aos 22 minutos é que a equipe tricolor voltou a criar dificuldades para o adversário. Rhayner recebeu na intermediária, avançou e tentou encobrir o goleiro Vega, mas a bola se chocou contra o travessão.

Felipe Dana/AP
Rhayner sofre falta durante a partida contra o Caracas

O Fluminense reduziu seu ritmo e o Caracas, sem grandes ambições ofensivas, até pôde respirar alguns minutos, embora não mostrasse intenção de assumir uma postura mais ofensiva. Só aos 28 minutos é que o Tricolor deu sinal de vida com um chute de Rafael Sobis que explodiu na zaga adversária.

Aos 35 minutos, a equipe visitante tomou um susto quando o goleiro Vega saiu jogando errado e colocou a bola nos pés de Wagner, mas a defesa conseguiu evitar o perigo, desarmando o jogador tricolor.

O Fluminense voltou a criar ótima oportunidade aos 38 minutos. Após falta sobre Rhayner, Jean levantou na área e Leandro Euzébio cabeceou e obrigou Vega a praticar grande defesa. O time carioca voltou a desperdiçar uma oportunidade de marcar, aos 43 minutos. Jean recebeu ótimo passe, de calcanhar, de Wellington Nem, mas entrou na área e mandou para fora.

O Fluminense voltou sem mudanças para o segundo tempo, apesar das reclamações do técnico Abel, no intervalo, sobre a postura da equipe. E o primeiro lance de perigo na segunda etapa foi do Caracas. O zagueiro Gum perdeu a bola para Peña que carrega, pelo meio, e bate colocado. A bola passa bem perto da trave direita de Cavalieri. O lance deixou a torcida nervosa e pedindo mais pressa ao time na troca de passes. Aos sete minutos, outro susto da torcida tricolor. Cure penetra pela direita, faz o cruzamento e a bola se choca com a trave de Diego Cavalieri.

No minuto seguinte, o Fluminense marcou o primeiro gol. Wagner, de calcanhar, lançou Carlinhos pela esquerda. O lateral cruzou pelo alto, Rhayner dividiu com a zaga e a bola sobrou para Rafael Sobis que chutou no canto, sem chances para Vega.

Animado com a vantagem, o Tricolor teve chance de ampliar aos 16 minutos. Carlinhos soltou a bomba, o goleiro Vega defendeu parcialmente e Jean e Wagner tentaram, sem sucesso, aproveitar o rebote. Sem outra alternativa, o Caracas partiu para buscar o empate e, quase consegue aos 19 minutos. Cabezas foi tentar o cruzamento e acabou colocando a bola no travessão, causando grande susto na torcida carioca.

Aos 25 minutos, quase que o Fluminense marca o segundo gol.Rhayner lançou Bruno, pela direita e o lateral cruzou para Sobis, a zaga aliviou e a bola sobrou para Wellington Nem que desperdiçou a chance de marcar, batendo por cima do travessão. Abel decidiu colocar o meia Felipe em campo,no lugar de Wagner. E aos 30 minutos, Diego Cavalieri evitou o gol do empate, ao defender um chute perigoso de Cure, depois de boa manobra do ataque venezuelano.

Nos minutos finais, o time carioca se preocupou apenas em defender a vantagem, enquanto o Caracas buscava o ataque, de forma desordenada, em busca de uma virada que pudesse garantir a classificação. O Fluminense ainda criou uma chance, com Samuel, mas Vega fez ótima defesa e evitou o segundo gol.

    Leia tudo sobre: FluminenseCopa Libertadores 2013

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG