Com três derrotas, Kleina admite: "Precisamos aprender a jogar fora

Por Gazeta |

compartilhe

Tamanho do texto

Técnico do Palmeiras faz alerta ao time antes do confronto diante dos mexicanos do Tijuana, pelas oitavas da Libertadores

Martin Mejia/AP
Gilson Kleina orienta o Palmeiras em partida disputada no Peru

Nas três vezes em que saiu do Brasil nesta Libertadores, o Palmeiras teve três derrotas. Retrospecto que faz Gilson Kleina confessar a necessidade de sua equipe aprender a atuar como visitante da mesma maneira como faz no Pacaembu, no qual teve 100% de aproveitamento na fase de grupos. E a lição precisa ser assimilada já para enfrentar o Tijuana, do México, nas oitavas de final.

Deixe o seu recado e comente esta notícia com outros torcedores

“Precisamos aprender a jogar fora de casa. E o mais rápido possível”, comentou o treinador, que já iniciará a próxima fase visitando o Tijuana. No México, quer, ao menos, mais eficiência ofensiva. “O mais importante é converter as situações que criamos. Isso faz muita diferença, ainda mais no gol fora.”

Leia mais: Menos disposto, Palmeiras é derrotado no Peru, mas avança como líder

O gol como visitante é o primeiro critério de desempate para classificação após a diferença no saldo de gols. Neste quesito, o Verdão vai mal, já que perdeu fora de casa diante de Libertad, Tigre e Sporting Cristal sem ter balançado as redes nenhuma vez. Mas não por falta de criatividade, segundo seu técnico.

Veja fotos dos jogos desta quinta pela Libertadores: 

Jorge Pellicer (à esq.) discutiu com Luxemburgo e tenta partir para cima do técnico gremista. Foto: Luis Hidalgo/APJogadores do Grêmio se defenderam das agressões e ficaram acuados no túnel de acesso ao gramado. Foto: Luis Hidalgo/APO goleiro Marcelo Grohe discute com policiais no vestiário. Foto: Luis Hidalgo/APComissão técnica gremista tenta apartar a confusão no Chile. Foto: Luis Hidalgo/APBarcos tenta roubar a bola de Gonzalez. Foto: Luis Hidalgo/APZé Roberto celebra gol do Grêmio contra o Huachipato. Foto: Luis Hidalgo/APRhayner sofre falta durante a partida contra o Caracas. Foto: Felipe Dana/APRafael Sóbis comemora gol da vitória do Fluminense. Foto: Nelson Perez/Fluminense F.CEdinha prepara uma bicicleta na partida contra o Caracas. Foto: Felipe Dana/APGilson Kleina orienta o Palmeiras em partida disputada no Peru. Foto: Martin Mejia/APMarcelo Oliveira sobre falta em jogo contra o Sporting Cristal. Foto: Martin Mejia/AP

“O único jogo em que fomos mal nesta fase foi contra o Libertad, no Paraguai. Nos outros dois jogos fora de casa, poderíamos ter saído vitoriosos, mas não aproveitamos as nossas chances. Poderemos ter só uma chance daqui para frente, e temos que convertê-la”, cobrou, exigindo também melhor posicionamento defensivo.“Fora de casa, o ímpeto do adversário é muito forte, como acontece conosco no Pacaembu. Temos que manter o nível de competitividade e entender que precisamos compactar em alguns momentos. Não podemos dar espaço. O equilíbrio emocional é diferente, e precisamos ser eficientes fora para termos vantagem em casa. Precisamos diminuir muito nosso erro fora de casa”, apontou.

Kleina, contudo, confia em seu grupo. Mais uma vez lembrando da reação após a derrota por 6 a 2 para o Mirassol. “Em uma semana, aprendemos a nos classificar tanto no Paulista quanto na Libertadores. E é bom lembrar que as vitórias em casa nos deram a condição de classificação na Libertadores”, ressaltou.

Leia tudo sobre: gilson kleinaigsppalmeiraslibertadores 2013

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas