Tamanho do texto

Mesmo sem ser apresentado oficialmente, o zagueiro que era do Vasco já passou por exames médicos no Rio de Janeiro

O zagueiro Dedé será apresentado como novo reforço do Cruzeiro na próxima sexta-feira, mas o jogador pode demorar a estrear com a camisa 26 da Raposa. Isso porque o atleta terá que passar por uma cirurgia para resolver um problema urinário. O medico do Cruzeiro, Sérgio Freire Júnior, explica que o problema não é serio, e que o tempo de inatividade é de cerca de duas a três semanas.

Dedé usa crise financeira do Vasco para justificar transferência ao Cruzeiro

"É só uma questão de trato urinário. Nada que venha a causar preocupação. Inclusive, fala-se que a recuperação desses casos gira em torno de duas, três semanas em média", disse Sérgio Freire em entrevista ao portal Super FC .

Mesmo sem ser apresentado oficialmente, Dedé já passou por exames médicos no Rio de Janeiro. Sérgio Freire revela que o diretor de futebol, Alexandre Mattos, pediu que ele fosse ao Rio de Janeiro para verificar a situação clinica de Dedé, que segundo ele é bastante tranquila.

"Estive no Rio nesta semana a pedido do Alexandre Mattos. Como o Dedé estava com uma dificuldade de deslocamento a Belo Horizonte, o clube esquematizou a minha viagem. Fiz uma avaliação médica preliminar nele e conversei com o departamento do Vasco. Tudo ocorreu bem. É claro que, quando o jogador chegar, nós faremos testes mais precisos, como exames de sangue, cardiológicos. A data dessas avaliações ainda não está marcada. Esperamos a chegada do jogador", declarou.

Apesar de o médico cruzeirense afirmar que o problema urinário de Dedé é simples, o jogador já chegou a ficar fora da Seleção Brasileira por conta deste problema. "Ele teve um episódio na Seleção, que era uma questão urinária. Se comentou que ele iria precisar de um procedimento cirúrgico e vai mesmo. Mas de caráter eletivo, algo que dá para ser programado. Quem sabe no intervalo do Campeonato Brasileiro, ou no fim da temporada, Não é nada de urgência e nem que possa virar urgência", afirmou.