Demitido em 2012, Leão critica Juvenal Juvêncio: "Foi grande no passado"

Por Gazeta |

compartilhe

Tamanho do texto

O São Paulo, sob administração de Juvenal Juvêncio, conquistou o tricampeonato brasileiro entre 2006 e 2008 e triunfou na Copa Sul-americana do último ano

Treinador do São Paulo em dois momentos de sua carreira (2004-2005 e 2011-2012), Emerson Leão foi demitido em sua passagem mais recente em junho do último ano, após o time ser eliminado do Campeonato Paulista e Copa do Brasil. Sem esquecer a atitude dos dirigentes do clube tricolor, o técnico, atualmente sem equipe, criticou a mentalidade do presidente da agremiação, Juvenal Juvêncio.

Vipcomm
Leão durante sua segunda passagem pelo SP

“ Acho que o Juvenal foi, digo no passado, um grande presidente e ajudou muito o São Paulo com suas ideias inovadoras. Hoje, acho que ele já passou”, afirmou em entrevista ao canal Bandeirantes.

Clube da fé, São Paulo espera vaga nas oitavas nem que seja na moeda

Antes de assumir a presidência do São Paulo, em 2006, Juvenal exerceu função de diretor esportivo e trabalhou com Leão na montagem de parte da equipe que conquistou o Campeonato Paulista, a Copa Libertadores da América e o Mundial de Clubes, todos em 2005. O treinador deixou o time antes das conquistas internacionais e foi para o Vissel Kobe (Japão), sendo sucedido por Paulo Autuori.

Em sua volta ao São Paulo, Leão não repetiu o sucesso da passagem anterior e acabou demitido pelos maus resultados. No entanto, a opção dos dirigentes não é bem vista pelo treinador, que ainda foi demitido do São Caetano quatro meses após deixar a equipe tricolor.

O São Paulo, sob administração de Juvenal Juvêncio, conquistou o tricampeonato brasileiro entre 2006 e 2008 e triunfou na Copa Sul-americana do último ano. Além disso, o clube paulista foi vice-campeão da Libertadores de 2006, quando sucumbiu diante do Internacional na final.

Leia tudo sobre: São PauloJuvenal JuvêncioEmerson Leãoigsp

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas