FBF, presidida por Carlos Chavez, ficou com a arrecacadação e decidiu doar cerca de R$ 42 mil à família de Kevin, o que corresponde a 3,9% do total

Torcedores bolivianos levam faixas homenageando Kevin Espada durante o jogo contra o Corinthians, no Pacaembu
WAGNER CARMO / Gazeta Press
Torcedores bolivianos levam faixas homenageando Kevin Espada durante o jogo contra o Corinthians, no Pacaembu

A FBF (Federação Boliviana de Futebol) ainda não entrou em contato com a família de Kevin Beltrán Espada para tratar do repasse de parte da renda do amistoso contra o Brasil, disputado no último dia 6 de abril. Descontente, Limbert Beltrán, pai do garoto atingido por um sinalizador de forma fatal no jogo entre San José e Corinthians, critica os dirigentes de seu país e José Maria Marin, presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol).

Com o estádio Ramon “Tahuichi” Aguilera lotado em Santa Cruz de la Sierra, o jogo entre Bolívia e Brasil proporcionou uma renda de aproximadamente R$ 1,087 milhão. A FBF, presidida por Carlos Chavez, ficou com a arrecacadação e decidiu doar cerca de R$ 42 mil à família de Kevin, o que corresponde a 3,9% do total.

LEIA: Federação Boliviana doa só 4% da renda de amistoso à família Espada

“Até agora, não se comunicaram oficialmente com minha família. Portanto, recebi essa informação apenas pela imprensa”, declarou Limbert Beltrán, pai de Kevin. Ele ainda reprovou a maneira com que FBF e CBF conduziram a doação à sua família.

“Você sabe como o tema foi dirigido e o vergonhoso que foi para a Federação Boliviana de Futebol. Também sabe como ficou o presidente da Confederação Brasileira. Sua solidariedade ficou reduzida a esses 3,9% que você está falando”, afirmou Limbert, que preferiu não comparecer ao amistoso disputado em Santa Cruz.

José Maria Marin chegou a anunciar que o total arrecadado no amistoso seria destinado aos parentes de Kevin. Insatisfeita, a FBF entrou em contato com a CBF e costurou um acordo para ficar com a renda, decidindo a seu critério o valor a ser repassado à família Beltrán Espada. A entidade ainda promete doar cerca de R$ 62 mil aos campeões do Sul-americano de 1963.

Falecido no último dia 20 de fevereiro, data em que o San José recebeu o Corinthians pela Copa Libertadores, Kevin passou despercebido no amistoso entre Bolívia e Brasil, já que não houve qualquer citação direta ao garoto. O tradicional minuto de silêncio antes da partida, por exemplo, foi dedicado a José Saavedra Banzer, ex-presidente da FBF.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.