O clube lamentou o triste acontecimento em seu estádio e programou até uma homenagem na próxima partida pela Libertadores

Bombeiros foram acionados para socorrer funcionários na Arena Palestra
Futura Press
Bombeiros foram acionados para socorrer funcionários na Arena Palestra

Dono do terreno em que a empresa WTorre comanda as obras de reforma da Arena Palestra Itália, o Palmeiras emitiu um comunicado oficial na tarde desta segunda-feira, dia em que a queda de parte da estrutura do estádio matou um operário e feriu outro na Avenida Francisco Matarazzo, Zona Oeste de São Paulo. O clube lamentou o triste acontecimento e programou até uma homenagem na próxima partida pela Libertadores.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

As causas do acidente estão sob investigação, mas tanto a empresa construtora quanto o Palmeiras manifestaram solidariedade à família do operário, vitimado pelo desabamento de um setor da estrutura que vinha sendo construído sobre a arquibancada antiga do Palestra. No último dia 25 de fevereiro, o Ministério Público de São Paulo pediu a paralisação das obras por considerar que o alvará não era respeitado, cogitando até mesmo a demolição dos 63% que já haviam sido erguidos. Na verdade, o órgão tentava o embargo desde 2011

“A Sociedade Esportiva Palmeiras vem a público lamentar profundamente o acidente ocorrido na manhã desta segunda-feira, 15 de abril, nas obras da nova arena do clube. Em nome de toda a comunidade palestrina, a agremiação alviverde manifesta total solidariedade à família que perdeu um ente querido, no desejo de que tenha muita força neste momento difícil”, comunicou o Palmeiras por meio de seu site oficial.

Leia mais: Desabamento no estádio do Palmeiras mata uma pessoa e deixa outra ferida

Para homenagear o operário morto nesta segunda-feira, o Palmeiras já se organizou para a partida da próxima quinta-feira, quando visita o Sporting Cristal pela última rodada da fase de grupos da Libertadores: “O clube solicitará autorização da Conmebol para que o time possa, como homenagem ao operário falecido, entrar com uma tarja preta em seu uniforme e que seja respeitado um minuto de silêncio antes da partida da próxima quinta”.

“Chegamos agora à tarde para treinar e ficamos sabendo da tragédia. A gente fica triste por ser no nosso estádio, um trabalhador estar trabalhando e acontece isso. Ficamos tristes pela família, mas que Deus possa confortar a família dele”, lamentou o meia Ronny, que concedeu entrevista coletiva na Academia de Futebol.


* com Gazeta

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.