Time paulista está classificado e espera uma semana para conhecer quem pega nas oitavas das Libertadores

O Corinthians tem no momento a segunda melhor campanha da Libertadores. Com seus 13 pontos, apenas o Atlético-MG é melhor. Pode ser ultrapassado por Olimpia, Nacional, Santa Fé e Libertad, líderes de seus grupos, mas é certo que o time pegará um adversário, ao menos na teoria, mais fraco na próxima fase. E o discurso dos corintianos após a vitória por 3 a 0 sobre o San José é um só: o melhor no momento é não ter um time brasileiro como adversário.

Leia mais: Corinthians vence San José e garante lugar entre melhores da Libertadores

“Não sou hipócrita. Não vou falar que quem quer ser campeão não escolhe adversário. O melhor é pegar um adversário mais fraco e aí ir passando e pegando confiança para as próximas fases”, disse o atacante Emerson, que afirmou preferir não ter um brasileiro como opositor logo de cara.

Palavras semelhantes às de Tite. O treinador não escondeu que o melhor é não ter brasileiros como rivais logo de cara. Pela atual disposição dos grupos, apenas um brasileiro, o São Paulo não estaria entre os classificados às oitavas de final. “Mas quem quer pegar o São Paulo? Às vezes a pontuação não diz o que é a equipe”, disse o treinador. O time do Morumbi precisa de uma combinação de resultados na próxima semana para se classificar.

“Se pudesse escolher pegaria os brasileiros só no final. Não mudo minha visão. Externo minhas opiniões. Melhor deixa para o final. Se puder pegar outras equipes gostaria que fosse assim”, disse o treinador.

O Corinthians enfrentou dois rivais brasileiros na campanha da Libertadores de 2012. Passou pelo Vasco nas quartas de final (0 a 0 no Rio e 1 a 0 no Pacaembu) e pelo Santos nas semifinais (1 a 0 na Vila Belmiro e 1 a 1 em São Paulo). A Conmebol força confrontos entre times do mesmo país antes da decisão para evitar uma final doméstica na Libertadores.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.