Bolivianos torcem pelo Corinthians e são fãs do 'irmão' Guerrero

Por Gazeta | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Maioria da colônia boliviana em São Paulo é corintiana e tem o atacante peruano como ídolo

WAGNER CARMO / Gazeta Press
Torcedores bolivianos levam faixas homenageando Kevin Espada durante o jogo contra o Corinthians, no Pacaembu

Punido pela morte de Kevin Beltrán Espada na partida diante do San José, o Corinthians conta com a admiração da maioria da numerosa colônia de bolivianos em São Paulo. O jogador favorito dos imigrantes do país vizinho é o atacante peruano Paolo Guerrero, herói do título mundial.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

"De cada 10 bolivianos aqui em São Paulo, pelo menos seis são corintianos. O Guerrero é nosso irmão. Antigamente, nos tempos da colônia, Peru e Bolívia eram como se fossem o mesmo país. Por isso, o Guerrero é quase um boliviano", afirmou Victor Hugo Miranda, técnico em informática.

Veja também: Corinthians tem quatro rivais para "secar" e ser o 2º melhor da fase de grupos

Um dos organizadores da excursão de torcedores do San José ao Pacaembu, ele chegou ao Brasil em 1997. Dessa forma, acompanhou de perto o bicampeonato brasileiro em 1998 e 1999 e o título mundial de 2000, com o meia Marcelinho Carioca como protagonista.

Além de leais seguidores do San José, fãs de outros times bolivianos, como Bolívar e Strongest, também foram ao Pacaembu. De acordo com Victor Hugo, alguns torcedores queriam ir ao setor visitante com a camisa do Corinthians, mas os organizadores decidiram vetar a ideia.

Leia também: Sem hipocrisia, Corinthians não quer pegar brasileiros nas oitavas

Diante da admiração dos bolivianos pelo clube, a derrota por 3 a 0 na partida disputada na noite de quarta-feira não foi tão traumática. Com a eliminação do San José, os imigrantes prometem apoiar Corinthians na Copa Libertadores, caso o Strongest não consiga a classificação no Grupo 3.

"Muitos vieram para torcer, ao mesmo tempo, pelo San José e pelo Corinthians. Saímos contentes, porque cumprimos o papel de apoiar o time boliviano e também porque o Timão ganhou. Ainda temos o Strongest, que depende de suas próprias forças", afirmou o boliviano de 30 anos, nascido em Cochabamba e fã do Jorge Wilstermann.

E mais: Corinthians vence San José e garante lugar entre melhores da Libertadores

Coincidentemente, Kevin Beltrán também era um admirador do Corinthians. A presença do atual campeã do mundo, reforçado pelo astro Alexandre Pato, levou o garoto a deixar a cidade de Cochabamba para acompanhar a partida realizada em Oruro no último dia 20 de fevereiro.

"Estamos com o coração machucado. Sentimos pela família do Kevin, tanto que trouxemos uma faixa em sua homenagem. Ao mesmo tempo, somos gratos ao Brasil, o país que nos abriu as portas, e queremos mostrar aos corintianos que estamos juntos, torcendo para que os 12 ainda presos em Oruro possam voltar", declarou Victor Hugo.

Cris foi expulso ainda no primeiro tempo. Foto: Edu Andrade / Fatopress/Gazeta PressGuerrero chuta de esquerda e amplia para o Corinthians no Pacaembu. Foto: Andre Penner/APPaulinho passa pela marcação de boliviano. Foto: Paulo Whitaker/ReutersDanilo disputa bola no alto com goleiro no Pacaembu. Foto: Andre Penner/APRomarinho comemora gol do Corinthians contra o San Jose. Foto: Andre Penner/APCris cabeceia a bola no empate entre Grêmio e Fluminense. Foto: Stringer/ReutersVargas disputa bola com Leandro Euzébio na Arena Grêmio. Foto: Stringer/Reuters


Leia tudo sobre: CorinthiansGuerreroSan JoséLibertadores 2013BolíviaKevin Espadaigsp

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas