De acordo com o ex-presidente corintiano, responsável pelos assuntos do novo estádio do clube, os R$ 400 milhões para o término da praça desportiva já estão garantidos

Os torcedores do Corinthians receberam uma ótima notícia na manhã desta quinta-feira: em visita ao futuro estádio do time, Andrés Sanchez, acompanhado pelo governador Geraldo Alckmin, prefeito Fernando Haddad e o ministro Aldo Rebelo, afirmou que o problema com o BNDES está resolvido.

Protesto contra licitação do Maracanã provoca confusão no Palácio Guanabara

À esquerda, Frederico Barbosa, da Odebrecht, fala com Alckmin e Haddad durante visita à Itaquera
Reprodução/Twitter
À esquerda, Frederico Barbosa, da Odebrecht, fala com Alckmin e Haddad durante visita à Itaquera

De acordo com o ex-presidente corintiano, responsável pelos assuntos da Arena Corinthians, os R$ 400 milhões para o término da praça desportiva já estão garantidos. Agora, só falta acertar com um banco repassador, já que esta verba não poderá ser direcionada diretamente ao clube de Parque São Jorge.

Sanchez, que escutou negativas de alguns bancos para este trabalho recentemente, assegurou que as negociações evoluíram em 60%, citando o Banco do Brasil, o Bradesco e até a Caixa Econômica Federal, esta última patrocinadora do clube, como possíveis contratados para repassar o dinheiro.

No último dia 11 de março, em entrevista ao programa Mesa Redonda, da TV Gazeta, Andrés Sanchez disse que, caso o financiamento da linha de crédito especial do BNDES não viesse em um mês, as obras do estádio iriam parar. "Todos sabem que dependemos do financiamento do BNDES", comentou.

Já sobre a empresa que nomeará a Arena, Sanchez revelou que a Itaipava, produto da Cervejaria Petrópolis, é forte candidata. Vale lembrar que a marca já está nos naming rights da Arena Fonte Nova, em Salvador, outro palco da Copa do Mundo de 2014. O setor de aviação não foi descartado por Sanchez.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.