Com apoio de Cuca, Guilherme comemora o reconhecimento da torcida atleticana

Por Gazeta |

compartilhe

Tamanho do texto

Antes do jogo, o técnico conversou com o atacante e explicou que o jogador não poderia fazer uma única função em campo

Gazeta Press
Guilherme, atacante do Atlético-MG

O meia-atacante Guilherme vinha sendo bastante cobrado no Atlético-MG, mas no jogo contra o Boa Esporte, o jogador provou que tem condições de seguir vestindo a camisa do Galo. Com vários desfalques, Cuca escalou Guilherme na armação das jogadas, e o atleta mostrou qualidade na função, dando assistências para os companheiros, o que levou Guilherme a deixar o Independência aplaudido pela torcida alvinegra.

“Para falar a verdade, o principal, para mim, não é nem o resultado. É, a cada dia, conquistar o torcedor. Se fosse 1 a 0 ou 4 a 0, para mim, pouco importa. Saio com um troféu conquistado, que é ter o nome gritado pela torcida. É um prêmio ter o apoio deles. As coisas fluem mais, você joga melhor”, declarou.

Antes do jogo, o técnico Cuca conversou com Guilherme e explicou que o jogador não poderia fazer uma única função em campo. O treinador exige dos jogadores do Galo que eles voltem atrás da linha da bola para ajudar na marcação quando o Atlético-MG está sem a bola, função que foi cumprida satisfatoriamente por Guilherme.

“Tivemos uma conversa boa com ele em cima do que é o futebol moderno. Não existe mais a função eu sou atacante, eu jogo ali. Hoje, a gente vê diversas funções feitas pelo pessoal que joga à frente, tanto para atacar quanto para passar a linha da bola”, disse Cuca, satisfeito com a exibição de Guilherme.

“É uma parceria em cima disso, e ela aconteceu com o Guilherme, em uma conversa que tivemos até em cima de ele não ter entrado no último jogo pela Libertadores. Ele entendeu que pode ser útil vindo de trás, por um lado, por outro, dividindo a responsabilidade”, comentou.

Leia tudo sobre: Atlético-MGGuilherme

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas