Cobrado por Juvenal, Ney Franco diz que reflexões continuam na sua cabeça

Por Gazeta |

compartilhe

Tamanho do texto

"É que na Libertadores fomos muito infelizes nos confrontos com o Arsenal, e estamos pagando por isso", disse o treinador do São Paulo

Juan Karita/AP
Ney Franco, técnico do São Paulo

Horas depois da derrota para o The Strongest, que diminuiu consideravelmente as chances de classificação do São Paulo às oitavas de final da Copa Libertadores, o presidente Juvenal Juvêncio pediu que Ney Franco repense se o time está no caminho certo. A resposta veio no domingo, assim que venceu o Botafogo, em Ribeirão Preto.

São Paulo aproveita expulsões e vence o Botafogo-SP com gol de Lúcio

"As reflexões estão sendo feitas desde o início da temporada. O que não falta na minha cabeça é reflexão", disse o treinador, valendo-se da liderança no Campeonato Paulista para valorizar seu trabalho. "É que na Libertadores fomos muito infelizes nos confrontos com o Arsenal, e estamos pagando por isso".

Nos confrontos contra o Arsenal, o São Paulo somou um só ponto, o que agora alimenta a esperança do time argentino (derrotado nos outros três jogos que fez) de ficar com a segunda vaga do grupo. Quando fala em infelicidade nesses dois jogos, Ney Franco passa a impressão de que os resultados foram acasos, basta ver como sua equipe vai bem na competição estadual.

Juvenal Juvêncio não pensa da mesma forma. Embora banque o técnico até dezembro, o mandatário disse, na quinta-feira, que os resultados ruins na Libertadores não foram azar. Foi por isso que pediu uma "postura crítica" do treinador "em relação ao elenco". Algo que também deve ter sido tratado em conversa particular, a qual teria ocorrido, segundo Ney Franco.

A torcida igualmente não quer justificativas, cobra resultados. No sábado, véspera da vitória sobre o Botafogo, membros da principal uniformizada são-paulina fizeram protesto em frente ao CT.

"Temos que compreender essa manifestação, a responsabilidade de uma competição internacional é muito grande, e infelizmente estamos mal nela", refletiu o treinador, rememorando os tropeços para o Arsenal, antes de pedir calma e voltar a dar valor ao Estadual. "Estamos tranquilos. Os jogadores sabem da importância das duas competições".

Leia tudo sobre: juvenal juvênciosão pauloigsp

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas