Fifa segue investigando manipulação de resultados da África do Sul

Por iG São Paulo * | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Quatro partidas amistosas antes do mundial de 2010 estão sendo investigadas. O cingapuriano Wilson Raj Perumal é o principal suspeito no caso

Após acusar a África do Sul de ter manipulado resultados de amistosos em sua preparação para receber a Copa do Mundo de 2010, em dezembro do ano passado, a Fifa deu um passo importante na investigação do caso. Nesta sexta, o secretário-geral Jérôme Valcke recebeu na sede da entidade, em Zurique (SUI), o ministro do Esporte e o presidente da Confederação de Futebol da África do Sul, Fikile Mbalula e Kirsten Nematandani.

Deixe o seu recado e comente esta notícia com outros torcedores

Reuters
Valcke vem investigando o escândalo no futebol sul-africano

A reunião teve como objetivo definir os rumos da investigação da suposta manipulação. Quatro partidas dos Bafana-Bafana antes do mundial estão sob suspeita: o empate em 1 a 1 com a Bulgária e as vitórias por 5 a 0 sobre Guatemala, 4 a 0 sobre a Tailândia e os surpreendentes 2 a 1 na partida com a Colômbia. Neste jogo e contra a Guatemala, os sul-africanos tiveram pênaltis duvidosos a seu favor.

Nela, ficou decidido que o governo sul-africano deve criar comissão de inquérito independente para investigar o caso. Valcke propôs que o presidente da Comissão de Ética da Fifa, o norte-americano Michael J. Garcia, faça parte do grupo. Apesar de sinalizarem positivo, os sul-africanos ainda terão que aprovar à ideia junto ao seu governo.“Este caso de longa data está prejudicando futebol sul-africano. É vital que este assunto, que ocorreu em 2010, seja concluído em breve, com os culpados sendo punidos com a política de tolerância zero. Estou muito satisfeito com o compromisso do governo da África do Sul e também Confederação Sul-Africana para garantir a investigação, que é a prioridade neste momento. A Fifa prestará o apoio possível”, afirma Valcke.

O principal suspeito de ter comandado o sistema de fraudes é o cingapuriano Wilson Raj Perumal, condenado pelo mesmo problema na Finlândia, em 2011. Por meio de empresa fantasma chamada Football 4U, oficialmente criada para desenvolver o futebol no país, o empresário teria se infiltrado na Confederação Sul-Africana de Futebol (Safa) e oferecido a manipulação com a ajuda de árbitros da própria Fifa.

“O aumento de manipulação de partida tornou-se uma das questões mais preocupantes, hoje, no futebol. O papel das autoridades nacionais da África do Sul é extremamente importante neste caso. Acredito firmemente que a reunião de hoje é um passo importante para acharmos uma solução para este episódio que gerou danos ao futebol sul-africano. Fizemos uma promessa à Fifa. Vamos levar esse caso até o fim”, conclui o ministro do Esporte da África do Sul, Fikile Mbalula.

Leia tudo sobre: fifajoseph blatterjérôme valcke

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas