Dirigente da Conmebol critica polícia mineira e promete investigação

Por Gazeta | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

José Luis Meiszner, secretário-geral da entidade, se mostra inconformado com a atuação dos policiais mineiros ao final do jogo entre Atlético-MG e Arsenal-ARG

Policial armado em frente aos jogadores do Arsenal no Independência. Foto: Eugenio Savio/APPM entrou armada no gramado do Independência e entrou em confronto com jogadores do Arsenal. Foto: Eugenio Savio/APJogadores do Arsenal entram em confronto com a Polícia Militar no Independência. Foto: Eugenio Savio/APRonaldinho comemora gol na goleada do Atlético-MG sobre o Arsenal de Sarandí. Foto: Washington Alves/ReutersJogadores do Arsenal pressionaram a arbitragem ao fim do primeiro tempo. Foto: Eugenio Savio/APLuan tenta se livrar da marcação do Arsenal. Ele fez o terceiro da goleada. Foto: Eugenio Savio/AP


O secretário-geral da Conmebol, José Luis Meiszner, criticou a atuação da polícia mineira durante a confusão com os jogadores do Arsenal de Sarandí, ocorrida logo após o jogo contra o Atlético-MG. Segundo ele, os policiais foram excessivamente violentos e cometeram "atos antinaturais para uma sociedade moderna".

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

"O que a polícia do Brasil fez aos jogadores do Arsenal foi imperdoável e incompreensível, e não  pode ser repetido. No entanto, nós não podemos garantir que isso não voltará a acontecer, porque temos limitações. O que aconteceu no Brasil foi um caso de má aplicação das medidas de segurança", disse o dirigente à agência de notícias "Télam" nessa quinta.

Veja também: Jornais argentinos criticam polícia mineira e lembram de briga com Tigre

Meiszner também afirmou que a confusão após a partida será investigada pela Conmebol e os culpados receberão a punição devida. Citando outras duas polêmicas recentes, ele garantiu que as medidas tomadas pela entidade virão a público no curto prazo.

"As punições aplicadas nos tribunais agora serão publicadas para que todo mundo saiba do que se trata. Elas serão muito severas. Os dois exemplos mais notórios são os castigos ao campeão Corinthians, pelo sinalizador que matou um menino na partida contra o San José, , e ao Vélez Sarsfield, depois dos incidentes protagonizados por seus torcedores no estádio Centenário, contra o Peñarol", disse.

Leia também: Sete atletas do Arsenal são indiciados por lesão corporal e desacato

Entenda o caso

A confusão da última quarta-feira teve início logo que o árbitro Enrique Caceres apitou o final do jogo, vencido pelo Atlético-MG por 5 a 2. Os jogadores do Arsenal foram imediatamente para cima do juiz, protegido pelos policiais que faziam a segurança do Independência. Nesse momento, os dois lados começaram a se agredir mutuamente, e os atletas acabaram recuando para o vestiário, onde atiraram cadeiras e outros objetos em direção aos policiais que estavam no local. Alguns profissionais da imprensa que acompanhavam o caso também acabaram feridos.

Oito jogadores do Arsenal foram autuados por desacato à autoridade e lesão corporal. A pena foi o pagamento de uma multa de R$ 38 mil. Como o clube argentino não tinha a quantia no momento, o Atlético-MG fez um empréstimo aos adversários.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas