Em jogo marcado por confusão com policiais no final partida, Atlético confirmou a melhor campanha da primeira fase

Ronaldinho fez dois gols contra o Arsenal e garantiu a quinta vitória do Atlético-MG
Eugenio Savio/AP
Ronaldinho fez dois gols contra o Arsenal e garantiu a quinta vitória do Atlético-MG

Os jogos do Atlético-MG em casa têm mostrado um cenário previsível na atual temporada, ou seja, Independência lotado, com a torcida dando show nas arquibancadas e os jogadores correspondendo dentro de campo. Nesta quarta-feira, a história se repetiu contra os argentinos do Arsenal, com vitória por 5 a 2, que mantém os 100% de aproveitamento do Galo na Libertadores.

Deixe seu comentário. O Atlético vai conseguir fechar o grupo com 100%?

O triunfo alvinegro foi o quinto seguido do Atlético-MG, que é o único clube, na atual edição da Libertadores, que venceu todos os jogos. A vitória desta quarta-feira começou a ser construída após lançamento de Jô para Tardelli, que ganhou da zaga argentina e teve tranquilidade para finalizar na saída do goleiro Campestrini, abrindo os trabalhos no Independência.

Ronaldinho Gaúcho, em cobrança de pênalti anotou o segundo gol do Galo. No fim do primeiro tempo, o zagueiro Braghieri diminuiu para os argentinos, e na volta para etapa complementar, Luan marcou o terceiro do Galo, e na sequência brilhou a estrela de R10, que com um toque genial, por cobertura, transformou o placar em goleada. Benedetto, em cobrança de falta marcou o segundo tento do Arsenal e Alecsandrofechou o placar em 5 a 2.

Na sequência da Libertadores, o Atlético-MG terá compromisso contra o São Paulo, dia 17 de abril, fechando a fase de classificação do Grupo 3, mas antes o Galo volta as atenções para Campeonato Mineiro, no domingo, os alvinegros, recebem o Boa Esporte, no Independência. Já o Arsenal-ARG vai encarar na última rodada os bolivianos do The Strongest.


O jogo
Atuando em casa, o Atlético-MG iniciou o duelo contra os argentinos impondo o ritmo do jogo e com maior posse de bola, envolvendo o adversário, que apostou nos contra-ataques. Apesar do domínio alvinegro, a primeira chance real de gol foi do Arsenal, com Carbonero, que acertou o travessão de Victor em arremate de fora da área.

A resposta do Galo não demorou e foi fulminante. Jô lançou Tardelli em velocidade, que ganhou da zaga argentina e teve tranquilidade para finalizar na saída do goleiro Campestrini, abrindo os trabalhos no Independência e explodindo a torcida atleticana em alegria. Aos 12, o avante voltou a trabalhar bem, dando assistência perfeita para Luan, que foi derrubado, o árbitro paraguaio Enrique Caceres marcou pênalti em favor dos mineiros.

Coube ao craque Ronaldinho fazer a cobrança com imensa categoria, deslocando o goleiro argentino para ampliar a vantagem do Atlético-MG. Os dois gols do Galo deixaram a equipe visitante desestruturada dentro de campo, com os brasileiros dominando inteiramente a partida e criando chances de dilatar ainda mais o marcador.

Jogadores do Arsenal pressionaram a arbitragem ao fim do primeiro tempo
Eugenio Savio/AP
Jogadores do Arsenal pressionaram a arbitragem ao fim do primeiro tempo

Mesmo com a vantagem construída nos primeiros minutos, o Galo seguiu agredindo o adversário, e somente no final do primeiro tempo que a equipe comandada pelo técnico Cuca diminuiu o ritmo, mas continuou com maior posse de bola. A acomodação do Atlético-MG permitiu ao Arsenal adiantar as linhas de marcação, e a equipe argentina acabou diminuindo o placar com o zagueiro Braghieri, que aos 40, mandou para redes brasileiras com um toque de cabeça.

Depois do cochilo no fim do primeiro tempo, o Atlético-MG retornou arrasador para a etapa completar, e logo no primeiro minuto Jô serviu Luan, que só teve o trabalho de completar para o fundo do gol argentino, dando ainda mais tranquilidade para os alvinegros. Com vantagem de dois gols, o Galo passou a girar a bola com qualidade na tentativa de encontrar espaços para a assistência perfeita.

Aos 13, brilhou a estrela do craque Ronaldinho, que acertou o ângulo de Campestrini, em um toque genial de cobertura, transformando o placar em goleada. R10 foi ovacionado pela torcida alvinegra nas arquibancadas do Independência. Com o marcador elástico, os atleticanos começaram o tradicional olé, chamando os argentinos para dançar.

Com o Atlético-MG jogando por música, coube ao técnico Cuca conter os ânimos dos atletas em campo, para que eles não entrassem na euforia da torcida. Com isso, o Galo voltou a jogar com seriedade, dominando inteiramente o adversário, com uma aula de futebol, digna de aplausos.

A atuação do Atlético-MG só não foi perfeita, porque o time vacilou defensivamente em alguns momentos. Prova disso, é que no fim do jogo, o Arsenal-ARG esboçou uma reação e descontou com um belíssimo gol de Benedetto, em cobrança de falta, sem chances para o goleiro Victor. Ainda teve tempo para aos 48, em chute de fora da área, Alecsandro fechar o marcador em 5 a 2.

FICHA TÉCNICA - ATLÉTICO-MG 5 X 2 ARSENAL DE SARANDÍ

Local: Estádio Independência, em Belo Horizonte (MG)
Data: 3 de abril de 2013 (quarta-feira)
Horário: 22 horas (horário de Brasília)
Árbitro: Enrique Caceres (Paraguai)
Assistentes: Dário Gaona e Hugo Martinez (ambos do Paraguai)
Cartões amarelos: Leonardo Silva, Pierre, Luan e Marcos Rocha (Atlético-MG); Aguirre e Ortiz (Arsenal de Sarandí)
Gols: Atlético-MG: Tardelli, aos dez e Ronaldinho, aos 14 minutos do primeiro tempo; Luan, um minuto, Ronaldinho, aos 13 e Alecsandro, aos 18 minutos do segundo tempo
Arsenal-ARG: Braghieri, aos 40 minutos do primeiro tempo; Benedetto, aos 39 minutos do segundo tempo

ATLÉTICO-MG: Victor; Marcos Rocha, Réver, Leonardo Silva e Richarlyson; Pierre, Leandro Donizete, Tardelli (Araújo) e Ronaldinho; Luan (Rosinei) e Jô (Alecsandro)  Técnico: Cuca

ARSENAL DE SARANDÍ: Campestrini; Nervo, Lisandro López, Braghieri e Pérez; Carbonero, Ortiz, Marcone e Aguirre (Torres); Rolle (Benedetto) e Forch   Técnico: Gustavo Alfaro  

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.