O destaque da partida foi Caio, que fez um gol e sofreu o pênalti convertido por Forlán no último lance do jogo

Dátolo, do Inter, em partida contra o Rio Branco no Acre
Alexandre Noronha/VIPCOMM
Dátolo, do Inter, em partida contra o Rio Branco no Acre

O Internacional teve dificuldades, mas passou pelo Rio Branco-AC e está na próxima fase da Copa do Brasil. Mesmo com uma atuação abaixo do esperado, o Colorado bateu o seu adversário por 2 a 0. O destaque da partida foi Caio, que fez um gol e sofreu o pênalti convertido por Forlán no último lance do jogo. O argentino D’Alessandro foi expulso no primeiro tempo, após se envolver em confusão com o meia Testinha.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Ao contrário do que se esperava, o Rio Branco jogou de igual para igual no primeiro tempo. A equipe da casa chegou a criar perigo após a expulsão de D’Alessandro, e ameaçou exercer o domínio do confronto. Na etapa final, o aspecto físico pesou contra o time do Acre. O Inter dominou o tempo todo e chegou aos 2 a 0 após pressionar bastante o adversário.

O Inter agora espera o vencedor do confronto entre Santa Cruz e Guarani de Juazeiro para conhecer seu adversário na próxima etapa da Copa do Brasil - os pernambucanos venceram o jogo de ida, fora de casa, por 2 a 1. A equipe volta a campo domingo, pelo Gauchão, fora de casa, diante do Veranópolis.

D'Alessandro foi expulso contra o Rio Branco
Alexandre Noronha/VIPCOMM
D'Alessandro foi expulso contra o Rio Branco

O jogo

Com a Arena da Floresta lotada, o Rio Branco fez um bom enfrentamento com o Internacional no primeiro tempo. No entanto, o Colorado começou bem: aos 50 segundos, Forlán aparou cruzamento de D’Alessandro de primeira e Douglas se esticou para evitar o gol. Aos 12, D’Ale chutou colocado de fora da área e quase acertou o ângulo.

No entanto, o argentino se notabilizava mais pela troca de provocações com o meia Testinha que pela bola que jogava. Depois de alguns estranhamentos, ambos foram expulsos aos 23 minutos. D’Ale acertou Testinha por baixo, e o jogador do Rio Branco revidou com um empurrão. Ambos levaram cartão vermelho direto.

Com dez contra dez, o Rio Branco se abriu e se animou, passando a gostar do jogo. Aos 28, Roby invadiu a área e bateu por cima, com muito perigo. Dez minutos depois, o mesmo Roby chutou para uma ótima defesa de Muriel. O Inter respondeu aos 46, em cruzamento de Fabrício que não foi aproveitado por Dátolo dentro da área.

Com pouca criatividade, o Inter continuou mal no segundo tempo. Só aos 15 minutos o time chegou com perigo, quando Josimar aproveitou escorada de Rafael Moura para chutar por cima. Mas, a seguir, brilhou a estrela de Dunga: aos 17, o técnico pôs em campo Caio, que marcou o gol que abriu o placar no minuto seguinte, aproveitando sobra na área após falta levantada por Forlán.

À medida que o tempo passava, o aspecto físico pesava a favor do time gaúcho, que mantinha a posse sempre no campo ofensivo, mas não criava tantas chances claras. Em boa fase, Caio teve boa chance de fazer o segundo aos 23, quando chutou por cima com muito perigo após receber passe de Forlán. O uruguaio, em uma de suas poucas boas jogadas na noite, chutou perto do ângulo aos 34.

No fim, o próprio Inter já diminuía o ritmo, abatido pela longa viagem e o forte calor em Rio Branco. Mesmo assim, Caio seguia inspirado. Depois de obrigar Douglas a uma grande defesa aos 42, o meia foi derrubado pelo goleiro do Rio Branco aos 47, após enfiada de Otávio. Forlán bateu e definiu a classificação colorada.

FICHA TÉCNICA
RIO BRANCO-AC 0 x 2 INTERNACIONAL

Local: Arena da Floresta, em Rio Branco (AC)
Data: 3 de abril de 2013, quarta-feira
Horário: 22 horas (de Brasília)
Árbitro: Fledes Rodrigues dos Santos (RO)
Assistentes: Márcia Caetano e Valdebrânio da Silva (RO)
Cartões amarelos: Ley, Roby, Ismael e Douglas (Rio Branco-AC); Fabrício e Forlán (Internacional)
Cartões vermelhos: Testinha (Rio Branco-AC); D’Alessandro (Internacional)
Gols: INTERNACIONAL: Caio, aos 18, e Forlán, de pênalti, aos 48 minutos do segundo tempo

RIO BRANCO-AC: Douglas; Ley, Marquinhos Costa (Pé de Ferro), Erick e Ananias (Alfredo); Ismael, Araújo Goiano, Roby e Testinha; Araújo Jordão e Juliano César (Marcelo Brás)
Técnico: Luís Carlos

INTERNACIONAL: Muriel; Gabriel, Romário, Juan e Fabrício; Aírton, Josimar (Willians), Dátolo (Otávio) e D’Alessandro; Forlán e Rafael Moura (Caio)
Técnico: Dunga

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.