Atletas do Arsenal de Sarandí brigam com PM e serão levados à delegacia em BH

Por Gazeta |

compartilhe

Tamanho do texto

Jogadores do time argentino entraram em confronto com a pólícia mineira e foram presos

Eugenio Savio/AP
Jogadores do Arsenal entram em confronto com a Polícia Militar no Independência

O jogo entre Atlético-MG e Arsenal de Sarandí pela Copa Libertadores não foi marcado apenas pelo belo futebol apresentado na goleada por 5 a 2. Jogadores do clube argentino entraram em confronto com a Polícia Militar e foram levados à delegacia.

Leia também: Ronaldinho brilha, Atlético goleia Arsenal e mantém 100% 

Incomodados com a condução da partida, os argentinos partiram para cima do trio da arbitragem ao final do jogo e a Polícia Militar interviu para proteger os árbitros. Os jogadores do Arsenal, então, agrediram os policiais, que revidaram e levaram os atletas à delegacia após a partida.

Com spray de pimenta, cacetetes e espingardas com balas de borracha, os policias acuaram os atletas, que desceram aos vestiários do Independência. Retidos lá, os jogadores causaram danos no local e chegaram a arremessar cadeiras.

A polícia, então, determinou por levar o elenco visitante à delegacia localizada no próprio Independência. O técnico Gustavo Alfaro passou uma lista com a numeração dos jogadores para melhor avaliação do caso. A prisão dos atletas não está descartada.

Policial armado em frente aos jogadores do Arsenal no Independência. Foto: Eugenio Savio/APPM entrou armada no gramado do Independência e entrou em confronto com jogadores do Arsenal. Foto: Eugenio Savio/APJogadores do Arsenal entram em confronto com a Polícia Militar no Independência. Foto: Eugenio Savio/APRonaldinho comemora gol na goleada do Atlético-MG sobre o Arsenal de Sarandí. Foto: Washington Alves/ReutersJogadores do Arsenal pressionaram a arbitragem ao fim do primeiro tempo. Foto: Eugenio Savio/APLuan tenta se livrar da marcação do Arsenal. Ele fez o terceiro da goleada. Foto: Eugenio Savio/AP

“É um momento de avaliação que será feita de acordo com as provas que colheremos. Ajudaria ter imagem de tudo que aconteceu. Com certeza eles podem ser presos, ocorreram crimes aqui”, declarou o tenente-general Cícero.

Quatro jogadores já foram identificados pelas agressões e a Polícia Militar informou que qualquer decisão que possa ser tomada será definida ainda hoje.


compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas