Titular do Palmeiras, Caio chora ao dedicar sua fase à mãe falecida

Por Gazeta |

compartilhe

Tamanho do texto

Autor de dois gols nos três últimos jogos, Caio, de 20 anos, atribuiu a fase à sua mãe, que faleceu antes de vê-lo se firmar no clube

Andre Penner/AP
Caio celebra gol com companheiros

O atacante brigador que aproveitou as constantes lesões de Kleber para se tornar titular do Palmeiras mostrou sua emoção nesta quarta-feira. Autor de dois gols nos três últimos jogos, Caio, de 20 anos, atribuiu a fase à sua mãe, que faleceu antes de vê-lo se firmar no clube. E não conseguiu conter as lágrimas em sua entrevista coletiva na Academia de Futebol.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

"Minha mãe, infelizmente, não está aqui, mas sei quanto ela lutou e acho que está muito feliz por eu estar aqui nesse momento", disse o jogador, já chorando embora tenha tentado se conter mexendo com o fio do microfone entre os dedos enquanto falava, de cabeça baixa, por pura timidez e ainda falta de costume por ser foco das câmeras.

Quando ergueu seu rosto, o centroavante rapidamente esfregou as mãos embaixo dos olhos para secar as lágrimas, que não paravam de sair. "Penso muito nela. Só eu e minha família sabemos quanto ela fez para eu chegar onde estou. É tudo no tempo de Deus. Infelizmente, ela não está aqui, mas onde está é um lugar bem melhor. E ela fez muita coisa para eu estar aqui."

Leia mais: Patrick Vieira tem lesão confirmada e desfalca Palmeiras por seis semanas

A emoção do jovem jogador surgiu ao falar de seu momento no clube, sendo titular nos últimos quatro jogos e marcando gols tanto na derrota para o Mirassol quanto para abrir a vitória sobre o Tigre, nessa terça-feira. "É o sonho de todo garoto. Sempre quis isso. Não tenho nem palavras para demonstrar minha emoção por defender a camisa desse grande time."

Nem as contestações que ouviu derrubaram o garoto. "Não tem descrição a minha felicidade. Assédio tem, e gosto disso. Gosto do carinho e também das críticas, porque é das críticas que me levanto. Gosto de tudo", comentou, feliz por se empenhar e ver o esforço dos colegas pelo sucesso de todos.

Veja também: Kleina vê raça organizada e avisa Tigre: "Nossa porrada foi vencer"

"É uma chance muito boa, todos queremos uma chance dessas. Procuro agarrar da melhor maneira possível, com gols e ajudando a equipe. Se cada um correr pelo outro, como ontem (terça-feira), formaremos um grande grupo e teremos destaques", projetou.

Leia tudo sobre: palmeirascaio

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas