Tite decreta o término do rodízio de titulares no Corinthians

Por Gazeta |

compartilhe

Tamanho do texto

“É reta decisiva. Se a gente mexer muito na equipe, a coordenação dos movimentos será comprometida. Está na hora de parar com isso", afirma o técnico

Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians
Tite, técnico do Corinthians

Tite não pretende mais promover rodízio entre os seus titulares. Nas fases decisivas das etapas de classificação do Campeonato Paulista e da Copa Libertadores da América, o técnico prometeu utilizar com mais frequência aquela formação que considera ideal para o time do Corinthians.

Deixe seu recado e comente com outros leitores

“É reta decisiva. Se a gente mexer muito na equipe, a coordenação dos movimentos será comprometida. Está na hora de parar com isso. Não podemos correr o risco de perder organização, segurando atletas”, comentou, logo após a vitória no clássico contra o São Paulo.

No próximo compromisso do Corinthians, Tite não tem motivos para poupar ninguém. O confronto de quarta-feira contra o Millonarios, em Bogotá, é válido pela Copa Libertadores da América, prioridade do clube. Mas ele ainda não definiu a escalação para o jogo. “Vou começar a projetar o time agora”, justificou.

Mesmo com a intenção de Tite de não poupar mais ninguém, é possível que o Corinthians volte a recorrer a alguns atletas considerados reservas no Estadual. O atacante Alexandre Pato, por exemplo, recebe cuidados especiais da comissão técnica. “Vamos estudar cada situação”, ressalvou o treinador.

Contra o São Bernardo, no domingo de 7 de abril, Tite certamente mexerá na escalação do Corinthians. O lateral direito Alessandro e o atacante Emerson precisarão cumprir suspensão automática. Para complicar ainda mais, o time segue com desfalques por problemas clínicos, como o do meia Renato Augusto, que atravessava bom momento até se lesionar.

O que colabora para o Corinthians encontrar a sua formação ideal, no entanto, são resultados como o obtido diante do São Paulo. “Mas também não sei a dimensão exata de ganhar esse clássico, até porque é fase de classificação. Valorizo de uma maneira normal. Se fosse em um mata-mata, teria muito mais valor”, ponderou Tite.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas