Vetado mesmo após tomar muito remédio, Prass deve enfrentar Tigre

Por Gazeta |

compartilhe

Tamanho do texto

Goleiro não atuou diante do Linense na partida de sábado pelo Paulistão por causa de fortes dores nas costas

Divulgação/Agência Palmeiras
O goleiro Fernando Prass

O departamento médico não garante, mas Gilson Kleina e até Bruno, goleiro reserva, acreditam que Fernando Prass estará em campo na terça-feira, contra o Tigre. O titular do Palmeiras não conseguiu suportar dores lombares mesmo se medicando desde a manhã de sexta-feira, e por isso os médicos são mais cautelosos quanto à sua liberação.

Deixe seu recado e comente com outros leitores

"O que o doutor me passou é que, na última bola do treinamento de sexta-feira, ele sentiu uma dor nas costas e acordou com uma lombalgia muito forte. Mas acredito que possa se recuperar", comentou Gilson Kleina.

Leia mais: Com gol aos 45 do segundo tempo, Palmeiras salva aniversário de Kleina

"Ele não conseguiu melhorar com o tanto de remédio que tomou, então era melhor não jogar para estar bom na terça-feira. E o Prass vai conseguir voltar", apostou Bruno, que atuou pela primeira vez na temporada ao substituir o ex-jogador do Vasco na vitória sobre o Linense, nesse sábado, e voltará a jogar caso o titular seja vetado.

Mesmo tendo atuado na campanha do rebaixamento no Brasileiro, Bruno ganhou a confiança de Gilson Kleina, apesar de o próprio técnico ter pedido a contratação de Prass no fim do ano passado. O goleiro evitou a virada do Linense quando o Palmeiras estava em seu pior momento na partida. "Fico feliz porque o Bruno fez a defesa do jogo", elogiou Kleina.

No lance, pouco após o empate do time do interior e com a torcida já vaiando o Palmeiras no Pacaembu, Bruno usou as pernas para evitar o gol de Dudu. "Consegui esticar bem o pé para pegar a bola, foi uma boa defesa. Era um momento complicado, tínhamos acabado de levar o gol e, se tomássemos outro, dificilmente iriamos reverter", admitiu.

Se tiver que atuar na terça-feira, o susto será menor, já que ele soube só no sábado que seria escalado. "Acordei quando o Prass estava se trocando para almoçar, dei bom dia e ele já falou ‘estou fora’. Falei: ‘Sério?! Está brincando...’ Aí ele já explicou que estava doendo muito e foi tranquilo. Já aconteceu outras vezes também", minimizou Bruno. "É muito diferente treinar e jogar, mas o goleiro tem só uma chance de jogar e mostrar seu valor. É assim", afirmou.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas