Seedorf compara arbitragem brasileira com a da Europa e analisa: "É estranho"

Por O Dia |

compartilhe

Tamanho do texto

Enquanto que no continente europeu o meia holandês recebia cartões com rara frequência, no Brasil tem sido diferente

Protagonista de uma expulsão no mínimo inusitada na partida contra o Madureira, o meia Seedorf só comentou o fato cerca de uma semana após o acontecido. Depois de todas as explicações e opiniões sobre o fato, em si, o holandês acabou aproveitando a oportunidade para comparar a arbitragem brasileira com a da Europa, onde atuou por grande parte da carreira.

Seedorf sente dores na coxa direita, deixa treino do Botafogo, mas não preocupa

"Falando da Europa, chegou um momento lá que, se um jogador reclama muito e pede cartão para o rival, hoje em dia recebe o cartão por não ter fair play. Aqui, vários jogadores pediram cartão durante o jogo para um ou outro", disse.

Bruno Turano/Gazeta Press
Seedorf foi expulso no último jogo do Botafogo

Enquanto que no continente europeu Seedorf recebia cartões com rara frequência, no Brasil tem sido diferente. Desde que chegou, o craque alvinegro já recebeu seis cartões amarelos, e um dos fatos que mais gerou as punições não foram as queixas, e sim, simulações.

"Alguns jogadores caem e tomam cartão, parece que estão pedindo falta. Cada árbitro tem de interpretar o momento. Contra o Vasco, estava desequilibrado, não pedi falta nem cartão e o juiz me deu. Eles têm obrigação de conhecer os jogadores. Como a gente faz análises, eles também devem. É estranho", comentou.

Em razão da expulsão do último final de semana, Seedorf foi denunciado pelo TJD e poderá pegar um gancho de até 12 partidas, fato que pode tirar o holandês do restante do Campeonato Carioca.

Leia tudo sobre: BotafogoSeedorf

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas